Presidente do parlamento da Madeira pede reforço da autonomia

O presidente da Assembleia da Madeira considerou que a região tem que ter “mais poderes e mais competências para melhorar ainda mais a vida da população”.

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, pediu um reforço da autonomia, durante uma festa religiosa, no Caniçal, onde se transportou a bordo de uma embarcação, denominada ‘Autonomia’, a Nossa Senhora da Piedade.

“Autonomia é uma força e uma expressão da identidade regional que nós conseguimos há 46 anos e que nós queremos reforçar. A Madeira com Autonomia desenvolveu-se no último meio século, mas nós temos que ter mais poderes e mais competências para melhorar ainda mais a vida das nossas populações”, disse José Manuel Rodrigues.

“Esta é uma das mais expressivas manifestações da identidade do nosso arquipélago. Demonstra a religiosidade e a fé do povo da Madeira e do Porto Santo. Mais uma vez após, a pandemia, temos uma grande festa que é também uma grande homenagem aos pescadores, em particular os do concelho de Machico, e muito especificamente ao Caniçal, que ao longo do ano labutam nos nossos mares e que devem merecer o maior dos reconhecimentos. Muitas vezes nós esquecemos que quando estamos a comer um peixe quanto custa pescar esse peixe, chamando a atenção para a necessidade de valorizar a profissão de pescador”, referiu o presidente da Assembleia da Madeira.

Recomendadas

O excesso de peso da mochila pode ser prejudicial à saúde do seu filho

É importante redobrar os cuidados e repensar nos materiais a levar para a escola, já que a mochila com peso tem um forte impacto na postura da criança.

Madeira: ACIF participa na quinta reunião transnacional do projeto BLUE-TEC

O projeto visa promover o crescimento inteligente do turismo náutico e costeiro da Macaronésia.

PSD/Açores disponível para novo modelo de financiamento dos bombeiros

O deputado regional social-democrata Luís Soares considerou necessário “saber como funcionam os mecanismos de acesso aos fundos comunitários, mantendo uma porta direta pelos bombeiros, em vez das candidaturas serem elegíveis somente através das câmaras municipais”.
Comentários