Presidente do Peru detido após ser destituído e acusado de golpe de Estado

Pedro Castillo foi detido e está na sede da polícia de Lima, depois de ter sido destituído pelo Congresso, acusado de tentar executar um golpe de Estado ao anunciar a sua dissolução.

O presidente do Peru, Pedro Castillo, foi detido esta quarta-feira e está na sede da polícia de Lima, depois de ter sido destituído pelo Congresso, acusado de tentar executar um golpe de Estado ao anunciar a dissolução deste órgão.

A Procuradoria do Peru determinou a detenção de Castillo, que se encontra na sede da polícia de Lima, para onde se deslocou com a sua família e o ex-primeiro-ministro Aníbal Torres, noticiou a agência Europa Press.

O parlamento do Peru aprovou também esta quarta-feira uma moção de censura contra o Presidente do país por “incapacidade moral”, com 101 dos 130 votos a favor, horas depois de Pedro Castillo ter anunciado a dissolução deste órgão, a criação de um “governo de emergência” e a instituição de um recolher obrigatório.

Antes de ser detido, Castillo revelou que determinou a “dissolução temporária do Congresso da República e o estabelecimento de um governo excecional de emergência”, noticiou a agência France-Presse (AFP).

Até à constituição de um novo Parlamento, “o Governo será dirigido por decreto-lei”, acrescentou o chefe de Estado, anunciando também um “recolher obrigatório a partir de hoje”, entre as 22h00 e as 04h00, a nível nacional.

Pedro Castillo referiu na altura que pretende “convocar o mais rapidamente possível um novo Congresso com poderes constituintes para redigir uma nova Constituição num período não superior a nove meses”. Já foi tarde.

Relacionadas

Presidente do Peru dissolve parlamento e cria “governo de emergência”

O Presidente do Peru, Pedro Castillo, determinou hoje a dissolução do parlamento, poucas horas antes de uma sessão para debater um ‘impeachment’ contra o chefe de Estado, e anunciou o estabelecimento de um “governo de emergência”.
Recomendadas

Turquia diz que é “atualmente impossível” a entrada da Suécia na NATO

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia referiu que neste momento o seu país não pode aceitar a adesão da Suécia à NATO. E não deu qualquer indicação de que Ancara tenha em vista voltar à mesa das negociações.

Tribunal espanhol determina que UEFA fica impedida de evitar Superliga

Competição que iria reunir algumas das melhores equipas do futebol europeu e mundial fica mais perto de se poder realizar. A UEFA terá feito uso da “posição de poder” para tentar impedir a realização da prova.

“A Arte da Guerra”. “Davos é um encontro de ricos a mostrarem que têm soluções para o mundo”

Menor intromissão que o costume veio de Davos, onde os ricos mais uma vez reuniram entre si no Fórum Mundial, outra vez sem a Rússia. Veja a análise do embaixador Francisco Seixas da Costa no programa da JE TV.
Comentários