Presidente do Peru vai pedir levantamento de sigilo bancário devido ao caso Odebrecht

“Peço o levantamento do meu sigilo bancário para que analisem tudo o que quiserem e assumo todas as responsabilidades que derivem dos meus atos”, disse Pedro Pablo Kuczynski, acompanhado pelo seu elenco governativo, numa mensagem ao país transmitida pela televisão.

O presidente do Peru anunciou na quinta-feira que vai pedir às autoridades judiciais o levantamento do seu sigilo bancário, após acusações de que uma das suas empresas recebeu pagamentos da construtora brasileira Odebrecht.

“Peço o levantamento do meu sigilo bancário para que analisem tudo o que quiserem e assumo todas as responsabilidades que derivem dos meus atos”, disse Pedro Pablo Kuczynski, acompanhado pelo seu elenco governativo, numa mensagem ao país transmitida pela televisão.

O chefe de Estado peruano afirmou que não se vai “deixar intimidar” pelas advertências políticas no Congresso, liderado pelo ‘fujimorismo’ [referência ao antigo presidente do país Alberto Fujimori], de que o destituirá do cargo se não apresentar a demissão.

Relacionadas

PLMJ leva Real Atlético do Peru à Copa dos Libertadores

Tribunal Arbitral deu razão ao clube de Cusco, num processo contra a federação peruana. Clube teve o apoio da equipa de arbitragem da PLMJ.

Nova barragem no Peru não altera recomendação do Caixa BI para EDP

A EDP, através da Hydro Global, obteve a concessão para a construção e exploração de uma barragem no Peru.
Recomendadas

Coreia do Norte lança mais dois mísseis balísticos de curto alcance

O destacamento do porta-aviões norte-americano surgiu em resposta ao anterior lançamento por parte de Pyongyang de um míssil de capacidade nuclear sobre o Japão.

Aviões chineses no espaço aéreo de Taiwan seria “ataque contra o país”, diz ministro da defesa de Taiwan

O ministro fez esta observação na quarta-feira, durante uma reunião do Comité de Defesa Nacional da Câmara Legislativa da ilha.

Independentistas catalães consultam militantes sobre continuidade no governo regional

Os dois partidos independentistas no governo regional, Esquerda Republicana da Catalunha (ERC) e JxCat, assumiram publicamente na semana passada a rutura, por discordarem no caminho para a independência, cinco anos depois do referendo de 1 de outubro de 2017, considerado ilegal por Madrid, e da tentativa de autodeterminação.
Comentários