Presidente do PPE pede em Lisboa que PRR seja usado para o que foi criado

O Presidente do Partido Popular Europeu (PPE) entrou hoje no debate sobre a execução do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR) português, pedindo ao Governo que o use para o que foi criado e não para compensar o défice.

Manfred Weber falava na abertura da Assembleia Política do PPE, em Lisboa, e sublinhou que o dinheiro do PRR é para criar “uma Europa verde e digital” e que não é isso que está a acontecer em Portugal.

Olhando para o investimento português, disse, “devo dizer que vemos que é mais para compensar o défice e orçamento nacional. Não é esse o objetivo deste fundo”.

“Por favor usem o dinheiro para investimento, para criar esperança para as futuras gerações”, pediu o Presidente do PPE.

Esta questão vem sendo debatida desde que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e outros responsáveis políticos alertaram sobre a existência de atrasos na execução de fundos europeus por parte de Portugal, sobretudo ao nível do PRR.

Sobre a situação interna, Manfred Weber criticou ainda o Governo socialista dizendo que se vê “muito envolvimento, muitas disputas internas e, por vezes, comportamentos caóticos do Governo” mas “não se veem as reformas necessárias aqui no país”.

Manfred Weber está em Lisboa para participar na Assembleia Politica do PPE, que reúne os eurodeputados dos partidos de centro-direita e é o maior grupo do Parlamento Europeu.

Além do Presidente do PPE, na abertura da Assembleia discursaram também Luis Montenegro, Presidente do PSD, Alberto Núñez Feijóo, Presidente of Partido Popular(PP) de Espanha, e Nuno Melo, do CDS-PP.

Recomendadas

EUA incluem Irão, grupo Wagner e talibãs na lista negra de liberdade religiosa

O Governo dos Estados Unidos anunciou hoje a sua ‘lista negra’ de países e organizações que atentam contra a liberdade religiosa, nela incluindo Cuba, China, Irão, Rússia, o grupo Wagner e os talibãs, entre outros.

Crise/Energia: Desconto no ISP reduz-se em dezembro com queda dos preços dos combustíveis

O Ministério das Finanças anunciou hoje que em dezembro há uma redução do desconto do ISP em 3,9 cêntimos por litro de gasóleo e em 2,4 cêntimos por litro de gasolina, tendo em conta a queda dos preços.

PremiumEmpresários pedem “velocidade” nos dossiers da economia e turismo

Confederações de empresários da indústria e de turismo agradecem aos secretários de Estado demissionários e esperam que os novos continuem o trabalho já realizado, concretizando planos anunciados.
Comentários