Presidente norte-americano veta e devolve ao Congresso diploma sobre orçamento do Pentágono

“Infelizmente, este projeto-lei não incluiu medidas críticas para a segurança nacional. Vai contra os esforços do meu Governo para colocar os Estados Unidos em primeiro lugar na segurança nacional e política externa”, atentou o presidente cessante, Donald Trump.

O presidente cessante dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump, vetou esta quarta-feira o diploma que contempla o orçamento para a Defesa do país em 2021, que foi aprovado pelo Congresso e que agora terá de reapreciar o documento.

“Infelizmente, este projeto-lei não incluiu medidas críticas para a segurança nacional. Vai contra os esforços do meu Governo para colocar os Estados Unidos em primeiro lugar na segurança nacional e política externa”, atentou Trump na mensagem endereçada ao Congresso norte-americano, citada pela France-Presse (AFP).

O chefe de Estado cessante considerou também que o orçamento para a Defesa, nos moldes em que foi aprovado, é um “presente para a China e para a Rússia”.

Por essa razão, o texto foi devolvido à Câmara dos Representantes e ao Senado – as duas câmaras do Congresso, a primeira de maioria democrata e a segunda de maioria republicana -, para reapreciação.

Os congressistas poderão escolher fazer alterações ao documento tendo em conta as críticas feitas por Trump ou poderão reconfirmar a aprovação da proposta, apesar da oposição do Presidente. Se acontecer este último caso, será a primeira vez que ocorre no mandato de Trump.

Este projeto-lei é separado do texto que inclui o pacote de recuperação económica para os Estados Unidos da América (EUA), na sequência da pandemia.

Contudo, Donald Trump também ameaçou vetar esse texto, alegando que apenas desse modo será possível atribuir mais dinheiro às famílias norte-americanas.

O Congresso aprovou um orçamento de 740,5 mil milhões de dólares (cerca de 607 mil milhões de euros) para a Defesa dos Estados Unidos em 2021, que incluiu também um aumento salarial para os funcionários na ordem dos 3%.

Mas o Presidente considera que o documento não contempla a abolição de um artigo que protege o estatuto jurídico das redes sociais, uma vez que, na opinião de Trump, é tendencioso com o próprio chefe de Estado.

O financiamento do Pentágono também é criticado por Trump pela intenção de renomear as bases militares construídas em homenagem a generais da fação confederada da Guerra Civil norte-americana – que defendia a escravatura – e que está contemplada.

Recomendadas

Ucrânia. EUA anunciam novo pacote de 627,3 milhões de euros em ajuda militar a Kiev

O presidente norte-americano, Joe Biden, informou hoje o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, da concessão de um novo pacote de ajuda militar de 625 milhões de dólares (627,3 milhões de euros).

Governo acompanha caso de portuguesa encontrada morta em França

O Ministério dos Negócios Estrangeiros português anunciou hoje que os consulados gerais de Estrasburgo e do Luxemburgo estão a acompanhar “com especial atenção” o caso de uma portuguesa encontrada morta em França.

Japão, EUA e NATO condenam disparo de míssil norte-coreano

Estados Unidos, Japão e NATO condenaram hoje o disparo pela Coreia do Norte de um míssil balístico sobre o Japão, comprometendo-se a coordenar uma resposta multilateral à provocação do regime do presidente Kim Jong-un.
Comentários