Presidente russo anuncia disparo de salva de mísseis hipersónicos

“Esta noite, nas primeiras horas da manhã, foi disparada uma salva do sistema hipersónico Zircon”, anunciou Vladimir Putin durante uma reunião governamental transmitida pela televisão, acrescentando que a operação tinha ocorrido “com sucesso”.

O Presidente russo, Vladimir Putin, anunciou hoje um teste bem-sucedido de disparo de mísseis hipersónicos Zircon, uma arma considerada “invencível” por Moscovo e que está no cerne da corrida ao armamento entre potências militares.

“Esta noite, nas primeiras horas da manhã, foi disparada uma salva do sistema hipersónico Zircon”, anunciou o líder russo durante uma reunião governamental transmitida pela televisão, acrescentando que a operação tinha ocorrido “com sucesso”.

“É um grande acontecimento para o país e um passo significativo para fortalecer a segurança da Rússia e as suas capacidades de defesa”, acrescentou o líder russo.

De acordo com vários meios de comunicação russos, esta é a primeira vez que Moscovo anuncia o lançamento de mísseis Zircon.

O primeiro disparo oficial de um míssil Zircon data de outubro de 2020 e, entretanto, outros testes já ocorreram no Ártico russo, a partir da fragata Almirante Gorchkov e de um submarino submerso.

No ambiente de escalada de tensão com os países ocidentais, em particular com Washington, a Rússia multiplicou os anúncios de desenvolvimento de novas armas apresentadas por Putin como sendo “invencíveis”, como os mísseis Zircon.

Com alcance máximo de cerca de 1.000 quilómetros, o Zircon foi instalado em navios de superfície e em submarinos da frota russa.

Os primeiros mísseis hipersónicos Avangard de nova geração, capazes de atingir uma velocidade de Mach 27 e de mudar de curso e altitude, foram ativados em dezembro de 2019 e a Rússia procura agora desenvolver armas para uso no espaço.

Em meados de novembro, a Rússia destruiu um antigo satélite soviético em órbita, irritando os ocidentais que acusaram Moscovo de colocar em perigo a Estação Espacial Internacional, ao provocar uma nuvem de destroços.

Recomendadas

PremiumUcrânia à espera do inverno e dos mísseis norte-americanos Patriot

A NATO não parece disposta a enviar os mísseis para a Ucrânia, e a Rússia já avisou que, se isso acontecer, tirará as devidas ilações.

PremiumProtestos na China “não têm dimensão de revolta política”

Os protestos face à política Covid zero na China chegaram a assumir alguma violência, mas os analistas não conseguem descobrir em Guangzhou qualquer sintoma da morte iminente do regime de Xi Jinping. ANATO manteve um olhar atento ao país asiático.

Joe Biden assina lei que evita greve ferroviária antes do Natal nos EUA

O Presidente dos EUA, Joe Biden, assinou hoje uma lei que impede a greve ferroviária em véspera de Natal, mas que vai contra as exigências de alguns sindicatos, ao deixar os trabalhadores sem dias de baixa por doença remunerados.
Comentários