Presidente tem a lista do XX Governo. O que se segue?

O primeiro-ministro indigitado, Pedro Passos Coelho, apresentou esta terça-feira ao Presidente da República uma proposta de composição do Governo. A tomada de posse está marcada para a próxima sexta-feira, 30 de outubro. Depois de tomar posse, o XX Governo tem até dia 9 para apresentar o seu programa à Assembleia da República. Em 2011, o Presidente […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O primeiro-ministro indigitado, Pedro Passos Coelho, apresentou esta terça-feira ao Presidente da República uma proposta de composição do Governo. A tomada de posse está marcada para a próxima sexta-feira, 30 de outubro. Depois de tomar posse, o XX Governo tem até dia 9 para apresentar o seu programa à Assembleia da República.

Em 2011, o Presidente da República indigitou o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, como primeiro-ministro no dia 15 de junho. Dois dias depois, Passos Coelho apresentou formalmente em Belém uma proposta de composição do Governo que seria de coligação PSD/CDS-PP e a posse decorreu no dia 21 de junho, no Palácio da Ajuda.

Os membros do XIX Governo Constitucional entraram em plenitude de funções após a discussão do seu programa, sem qualquer votação, no dia 1 de julho, dez dias depois da tomada de posse.

A Constituição da República prevê que o “programa do Governo é submetido à apreciação da Assembleia da República, através de uma declaração do Primeiro-Ministro, no prazo máximo de dez dias após a sua nomeação”.

O debate não pode exceder três dias e até ao seu encerramento pode qualquer grupo parlamentar propor a rejeição do programa ou o Governo solicitar a aprovação de um voto de confiança. PCP e BE já anunciaram que vão apresentar moções de rejeição.

A rejeição do programa do Governo exige maioria absoluta dos deputados em efetividade de funções (116).

A rejeição do programa do Governo ou a não aprovação de uma moção de confiança implica a demissão do Executivo.

OJE

O OJE acompanhou a comunicação ao País do Presidente da República, no dia 22 de outubro:

Cavaco Silva indigita Pedro Passos Coelho como primeiro-ministro

Reações. Socialistas lamentam “perda de tempo”. PSD acusa PS

Reações à esquerda: Serão apresentadas moções de rejeição

Recomendadas

Paciência zero para a política Covid zero na China. Ouça o podcast a “A Arte da Guerra”

A política de Covid zero começa a fazer mossa na China com o confinamento de centenas de milhões de pessoas a desencadear protestos pouco comuns na presidência de Xi Jinping. Os incidentes diplomáticos no Qatar e a perseguição aos curdos por parte de Erdogan são também temas em análise.

Partidos votam contra ensino do português no estrangeiro gratuito

O único dos nove diplomas sobre ensino do português no estrangeiro que acabou por ser aprovado foi um projeto de resolução da iniciativa do Partido Socialista (PS).

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.