Prestação da casa sobe em média entre 39 e 104 euros em agosto para contratos com Euribor

A prestação da casa paga pelos clientes bancários no crédito à habitação vai subir acentuadamente em agosto nos contratos indexados à Euribor a três, seis e 12 meses, face às últimas revisões, segundo a simulação da Deco/Dinheiro&Direitos.

Um cliente com um empréstimo no valor de 150 mil euros, a 30 anos, indexado à Euribor a seis meses e com um ‘spread’ (margem de lucro do banco) de 1%, passa a pagar a partir deste mês 515,24 euros, o que traduz uma subida de 68,36 euros face à última revisão em fevereiro.

Já no caso de um empréstimo nas mesmas condições (valor e prazo de amortização), mas indexado à Euribor a três meses, o cliente passa a pagar 485,01 euros, mais 38,72 euros do que paga desde maio.

Estes valores foram calculados tendo em conta as médias da Euribor no mês de julho, de 0,466% a seis meses e de 0,037% a três meses.

Já nos empréstimos indexados à Euribor a 12 meses, a prestação da casa – para um empréstimo nas condições referidas – será de 553,83 euros a partir de agosto, um agravamento de 104,45 euros face ao que pagava em agosto de 2021. Neste caso, o valor foi calculado tendo em conta a média da Euribor em julho, que a 12 meses foi de 0,992%.

A evolução das taxas de juro Euribor está intimamente ligada às subidas ou descidas das taxas de juro diretoras BCE.

Após vários anos em terreno negativo, as Euribor começaram a subir mais significativamente desde 04 de fevereiro, depois de o Banco Central Europeu (BCE) ter admitido que poderia subir as taxas de juro diretoras este ano devido ao aumento da inflação na zona euro, o que veio a acontecer este mês, quando na sua reunião de 21 de julho anunciou uma subida das taxas de juro em 50 pontos base.

Esta subida decidida pelo BCE, que abrangeu as três taxas de juro diretoras, foi a primeira em 11 anos, com o objetivo de travar a inflação.

O BCE indicou também que nas próximas reuniões continuará a subir as taxas de juro.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação esteve negativa durante seis anos e sete meses (entre 06 de novembro de 2015 e 03 de junho de 2022).

Já a Euribor a três meses entrou em 14 de julho em terreno positivo pela primeira vez desde abril de 2015, baixo

A Euribor a 12 meses ficou negativa em 05 de fevereiro de 2016, estando positiva desde 21 de abril.

As taxas Euribor são o principal indexante em Portugal nos contratos bancários que financiam a compra de casa. A Euribor a seis meses é a mais usada, seguida da taxa a três meses.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

Recomendadas

Maior projeto residencial do Porto já vendeu 75% dos primeiros 176 apartamentos

O Antas Atrium representa um investimento de 240 milhões de euros e arrancou a primeira fase da sua construção em setembro do ano passado e deverá a ter sua conclusão finalizada no último trimestre de 2023.

Grupo português e empresa europeia adquirem Lx Factory a fundo gerido pela Keyes REIM

Gestora de ativos francesa era proprietária do Lx Factory desde 2017. O valor de aquisição não foi revelado, sendo que o processo de investimento foi gerido pela Bedrock Capital.

Procura procura de imóveis para investimento aumenta 30% no Belas Clube de Campo

Das residências de tipologia T2, 50% foram comprados com o objetivo de investimento por via de arrendamento.
Comentários