Primeira mulher da administração Trump está escolhida. E é crítica do novo presidente

A escolhida é a governadora Nikki Haley, que será a nova embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, mesmo depois de criticada publicamente pelo novo presidente.

Trump nomeou a primeira mulher para um cargo na sua administração. A escolhida é a governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley, que será a nova embaixadora dos EUA nas Nações Unidas (ONU), sucedendo a Samantha Power.

“É uma das governadoras mais respeitadas do país, será uma grande líder para nos representar na cena mundial”, divulga o comunicado da equipa de Trump, que confirma oficialmente a escolha.

A escolhida para o cargo, de 44 anos, pertence ao partido republicano, é filha de imigrantes indianos e já criticou publicamente algumas propostas de Donald Trump, particularmente a sua proibição temporária da entrada de muçulmanos no país e pela sua recusa em condenar categoricamente a extrema-direita durante a campanha eleitoral, segundo divulga o Washington Post.

Haley apoiou publicamente o candidato Marco Rubio nas primárias e foi também criticada pelo agora Presidente, que acusou a governadora de ser “muito, muito fraca” no combate à imigração ilegal.

Haley é conservadora na economia, defendendo o mote “menos Estado e menos impostos” e opõe-se à liberalização do acesso à interrupção voluntária da gravidez. A sua visão para a política externa é, contudo, uma incógnita.

O jornal Washington Post refere apenas que a governadora não tem experiência diplomática, e no geral, a sua visão alinha com a ala mais conservadora do partido republicano, particularmente em questões de defesa e segurança nacional.

Recomendadas

Democratas dizem que ‘impeachment’ de Trump serve para garantir que “nenhum futuro presidente” volte a apelar à violência

Recorrendo a relatos policiais, de funcionários do Capitólio e a notícias de imprensa estrangeira, os democratas alegaam que Donald Trump foi o responsável pela invasão do Capitólio, tendo provocado danos políticos e sociais de longo prazo.

Trump deseja “sucesso” e “sorte” à administração de Biden no discurso de despedida da Casa Branca

Na hora da despedida, Donald Trump limitou-se a desejar que a nova administração seja bem-sucedida, embora não tenha mencionado uma única vez o nome do sucessor, Joe Biden. O 46.º presidente dos EUA toma posse esta quarta-feira.

EUA. Um muro, o país dividido e potencial terrorismo na capital

Grades metálicas, contraplacados de madeira, uniformes, veículos militares e armas nas mãos da Guarda Nacional multiplicam-se em Washington, que se protege contra potenciais ações terroristas na posse de Joe Biden como presidente dos EUA, na próxima quarta-feira.
Comentários