Primeira prestação para compra do BESI, de 56,85 milhões, paga até 19 de dezembro

A primeira prestação para a compra do BESI pela Haitong Internacional Holding Limited (HTIH), no valor de 56,85 milhões de euros, será paga até 19 de dezembro, anuncia a empresa chinesa. A informação foi prestada à Bolsa de Hong Kong na terça-feira, já depois do fecho do mercado de capitais daquela Região Administrativa Especial da […]

A primeira prestação para a compra do BESI pela Haitong Internacional Holding Limited (HTIH), no valor de 56,85 milhões de euros, será paga até 19 de dezembro, anuncia a empresa chinesa.

A informação foi prestada à Bolsa de Hong Kong na terça-feira, já depois do fecho do mercado de capitais daquela Região Administrativa Especial da China, onde a HTIH está cotada e tem a sua sede.

Subsidiária da Haitong Securities, empresa financeira estatal, sedeada em Xangai, a HTIH vai comprar o BESI ao Novo Banco por 379 milhões de euros, conforme acordo celebrado na segunda-feira em Lisboa.

A finalização do acordo está agora “dependente das necessárias aprovações, nomeadamente junto do Banco de Portugal, da Comissão Europeia, das autoridades da concorrência e de um conjunto de outras autoridades que exercem supervisão direta sobre a entidade compradora”, indicou o Novo Banco à Comissão do Mercado de Valores Imobiliários (CMVM).

Depois de cumpridas todas as formalidades e o pagamento do montante total da aquisição, o BESI “passará a ser uma subsidiária direta do HTIH”, diz o comunicado da empresa chinesa.

OJE/Lusa

Recomendadas

OE2022. Pagamentos em atraso sobem para 778,1 milhões até agosto

Os pagamentos em atraso das entidades públicas atingiram os 778,1 milhões de euros em agosto, um aumento em 157,6 milhões de euros face ao mesmo período do ano anterior, avançou esta segunda-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

OE2022. Receita fiscal do Estado aumenta 22,8% até agosto para 33,5 mil milhões

A receita fiscal do Estado aumentou 22,8% até agosto face ao mesmo período do ano passado, totalizando 33.511,5 milhões de euros, segundo a Síntese da Execução Orçamental divulgada esta segunda-feira.

OE2022. Resposta à Covid-19 custou ao Estado 2.835,2 milhões até agosto

A resposta à covid-19 custou 2.835,2 milhões de euros até agosto, devido à perda de receita em 464,5 milhões de euros e ao aumento da despesa em 2.370,7 milhões, avançou esta segunda-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).