Primeiras projeções indicam uma vitória do Não em Itália

A sondagem divulgada pela estação televisiva RAI estima a vitória do Não entre os 54 e os 58%.

Radovan Stoklasa/Reuters

As urnas acabaram de fechar às 22h00 em Portugal (23h00) em Itália e a sondagem à boca das urnas do IPR Marketing-IstitutoPiepoli para a estação televisiva italiana RAI avança com a vitória do Não.

As primeiras previsões dão entre 54% e 58% para o Não, contra 42% a 46% para o Sim.

Também outra sondagem à boca das urnas, da Mediaset para o Canale5, dá 55% a 59% para o Não e 41% a 45% para o Sim.

O primeiro-ministro Matteo Renzi  afirmou que se demitiria se o Não vencesse.

Segundo a Reuters, o líder Liga do Norte,  Matteo Salvini, já comentou as primeiras sondagens que dão uma vitória clara à rejeição do referendo constitucional, exigindo por isso a demissão de Renzi.

No Twitter, Matteo Renzi já agradeceu a todos o apoio e escreve que em breve irá estar em direto no Palácio Chigi.

Recomendadas

Banco Popular da China pede aos bancos para suportarem a moeda chinesa nos mercados internacionais

A China pediu aos seus bancos que se preparem para socorrer o yuan, face à crescente agitação provocada pela valorização do dólar face ao yuan, face ao euro e face à libra, avança o El Economista.

Alemanha não vai seguir “política fiscal expansionista” do Reino Unido

O Governo alemão anunciou um fundo de 200 mil milhões de euros destinado a proteger consumidores e empresas do aumento dos preços do gás impulsionado pela guerra na Ucrânia.

Líbano. Crise política não abranda: Parlamento não consegue eleger presidente

Beirute não tem um governo em funcionamento desde maio e o atual primeiro-ministro, Najib Mikati, não tem legitimidade suficiente. Acentuando a crise política – paralela à económica – não foi possível ao Parlamento eleger o presidente do país.
Comentários