Primeiro carro movido a energia solar chega ao mercado este ano

O carro poderá tem uma autonomia de 624km, sem parar para recarregar, e terá um alcance adicional de até 70km por dia a partir dos painéis solares.

A empresa neerlandesa Lightyear anunciou que começará a produzir o primeiro carro elétrico do mundo movido a energia solar, o ‘Lightyear 0’. O veículo vem com painéis solares instalados no tecto, capô e bagageira, capazes de carregar a bateria enquanto está estacionado, mas também em andamento. A empresa garante que a primeira entrega pode acontecer ainda em novembro deste ano.

Segundo as informações disponibilizadas pela construtora no seu portal oficial, o carro poderá tem uma autonomia de 624km, sem parar para recarregar, e terá um alcance adicional de até 70km por dia a partir dos painéis solares.

Cada hora ao sol equivale a mais nove quilómetros de carga à bateria, de acordo com a Lightyear. O alcance solar fornecerá uma alimentação adicional de vários quilómetros para viagens longas, o que permite perder menos tempo em pontos de carregamento. A empresa diz que em países quentes, como Portugal ou Espanha, se o seu trajeto diário for inferior a 35 quilómetros, não é necessário carregar o carro até sete meses. Num clima mais nublado, como nos Países Baixos, o carro tem de ser carregado após dois meses.

Enquanto todo o conceito do ‘Lightyear 0’ gira em volta da eficiência e da redução do tempo de carregamento, tem uma velocidade máxima de apenas 160 mph, enquanto o tempo de zero a 160km por hora é dez segundos.

O preço também não é convidativo. Um dos 946 modelos de lançamento custará 250 mil euros, mais do que, por exemplo, um Ferrari Roma, e a uma distancia considerável dos veículos elétricos de custo médio como o Nissan Leaf (25,5 mil euros) ou o Tesla Model 3 (47,4 mil euros).

A empresa espera também lançar um “modelo popular” até 2025, provisoriamente apelidado de Lightyear Two, que será vendido por cerca de 30 mil euros.

Recomendadas

Premium“Estamos a fazer tudo para a Bielorrússia não ser esquecida”, diz líder da oposição na Bielorrússia

Sviatlana Tsikhanouskaya, a ativista de 39 anos que substituiu o marido, Sergei Tikhanovsky, preso a 29 de maio de 2020, como candidata da oposição às presidenciais de 2020, continua empenhada na missão que abraçou em nome da oposição bielorrussa e de todos os bielorrussos que anseiam por um país democrático. Está ciente que “todos os países estão a viver momentos difíceis, não só a Ucrânia e a Bielorrússia”. E sublinha que se trata de “um enorme desafio para toda a Europa”. Mas desistir não é uma opção.

Caleidoscópio Varda de novo em Serralves

A mulher que se fez fotógrafa, cineasta e artista plástica “aterra” em Serralves, no Porto, 13 anos depois, com a exposição “Luz e Sombra” e uma retrospetiva que reúne duas dezenas de filmes.

PremiumVolkswagen Carocha: a paixão relembrada

O Dia Mundial do Carocha foi o “leitmotiv” para se falar do maior ícone automóvel de todos os tempos, do maior sucesso na indústria automóvel, que quase 20 anos depois do fim da produção continua a gerar paixões.
Comentários