Primeiro-ministro enaltece contributo dos militares para o prestígio do país

O primeiro-ministro, António Costa, deixou este domingo uma mensagem de apreço e de homenagem às Forças Armadas pela forma como contribuem para prestigiar o país nos vários teatros de operações e nas missões de apoio às populações.

Reuters

António Costa disse “prestar homenagem” às Forças Armadas, à sua “contribuição histórica para garantir a independência e a integridade” do território e “também para a missão importante que desenvolvem de apoio” às populações, numa mensagem hoje divulgada aos ramos militares, às Forças Nacionais Destacadas e publicada na rede social “twitter”, e no portal do Governo.

A mensagem em vídeo foi gravada durante a visita do primeiro-ministro ao contingente português na missão da NATO no Afeganistão, acompanhado pelo ministro da Defesa, Gomes Cravinho, e pelo Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, no fim-de-semana passado.

António Costa dirigiu-se a todas as forças que “estão nos diversos teatros de operações servindo Portugal e prestigiando o país com a capacidade única dos militares portugueses”, seja no quadro da cooperação bilateral, da NATO, da ONU ou da União Europeia.

“Nesta época festiva, de Natal e Ano Novo, naturalmente mais sentem a distância relativamente à nossa pátria, aos familiares e amigos”, reconheceu, deixando uma “mensagem de grande apreço” pela forma como partilham a “disponibilidade para continuar ao serviço” do país.

Recomendadas

BE quer que beneficiários de bolsa de estudo do Ensino Superior recebam um complemento extraordinário

O BE quer que os estudantes que recebem apoios obtenham um complemento extraordinário no valor anual de 50% do valor do indexante dos apoios sociais.

Governo “condena a anexação pela Rússia dos territórios ucranianos”

Para o Governo a anexação dos territórios ucranianos à Rússia “constitui mais uma violação grosseira do Direito Internacional e dos princípios consagrados na Carta das Nações Unidas”.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.
Comentários