Primeiro satélite angolano já foi lançado em órbita

O primeiro satélite angolano, o Angosat, um investimento do Estado angolano de 320 milhões de dólares (269,6 milhões de euros), foi hoje lançado no Cazaquistão, e comemorado em Luanda com fogos de artifícios.

Angola torna-se assim no sétimo país africano, ao lado da Argélia, África do Sul, Egito, Marrocos, Nigéria e Tunísia, com um satélite de comunicações em órbita, que a partir de hoje entra em período de teste até março, aproximadamente.

Na semana passada, o ministro das Telecomunicações e Tecnologias de informação, Carvalho da rocha, informou que comercialmente 40 por cento da capacidade do satélite já está reservada.

O Angosat foi construído por um consórcio estatal russo e foi lançado, às 20:00 de Angola, com recurso ao foguete ucraniano Zenit-3SLB, envolvendo ainda a Roscosmo, empresa espacial estatal da Rússia.

Segundo o ministro angolano, o Estado angolano estima a recuperação do investimento em pelo menos dois anos, olhando a valores mínimos de 15 milhões de dólares.

“As nossas operadoras, todas elas juntas, para poderem prestar o serviço de telefonia móvel e outros alugam espaço em outros satélites, que dominam essa nossa região. E todas elas juntas gastam em média por mês entre 15 a 20 milhões de dólares”, referiu o governante angolano.

A construção do satélite, que teve sucessivamente adiado o seu lançamento, teve início em 2013, com o objetivo de disponibilizar serviços de telecomunicações, televisão, internet e governo eletrónico, devendo permanecer em órbita “na melhor das hipóteses” durante 18 anos.

m Luanda, capital angolana, o lançamento do Angosat foi testemunhado por várias pessoas, entre elas governantes angolanos, na marginal de Luanda, através de uma tela gigante, que terminou com uma sessão de lançamento de fogo de artifício.

Relacionadas

Primeiro satélite angolano é lançado terça-feira

O lançamento do primeiro satélite angolano, Angosat, acontece na próxima terça-feira, no Cazaquistão, para entrar em período de teste entre dois a três meses, anunciou hoje o ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação de Angola.
Recomendadas

Primeira-ministra da Finlândia lamenta atrasos na ratificação da entrada do país e da Suécia na NATO

“O processo está a demorar mais do que gostaríamos. Já deveríamos ter sido aceites e o processo de ratificação deveria estar concluído”, disse Sanna Marin numa entrevista na rádio pública finlandesa, citada pela agência EFE.

Pelo menos 11 mortos em deslizamento de terras nos Camarões

De acordo com a agência France-Presse (AFP), ao início da noite, quatro corpos, cobertos por lençóis brancos, foram retirados pela polícia no bairro de Damas, na periferia de Iaundé. No local, relata um jornalista da AFP, estavam hoje à noite centenas de moradores em pânico, à procura de familiares e amigos, e equipas de resgate a tentar chegar ao local do acidente.

Cabo Verde quer reforçar combate à pobreza com aumento de 25% da taxa turística

Governo liderado por Ulisses Correia e Silva prevê arrecadar 8,6 milhões de euros com o aumento da taxa, que serão canalizados para o fundo de financiamento Programa Mais, Mobilização pela Aceleração da Inclusão Social, concebido para apoiar projetos de combate à pobreza extrema e exclusão social, segundo a Forbes África Lusófona.
Comentários