Príncipe Harry entrevista Obama: futuro dos EUA e redes sociais foram tema de conversa

Esta foi a primeira entrevista de Barack Obama, após ter deixado a presidência dos EUA. Foi gravada em setembro, em Toronto, no Canadá, à margem da competição militar Invictus, criada por Harry.

Youtube/ The Obama Foundation/ BBC Radio 4

A BBC Radio 4 transmitiu esta quarta-feira a primeira entrevista de Barack Obama, após ter deixado a presidência dos EUA. A entrevista foi feita pelo príncipe Harry e teve como temas de destaque o futuro dos Estados Unidos e as redes sociais, numa conversa em que também se falou sobre a próxima geração de líderes políticos.

Durante a entrevista, que foi gravada em setembro, em Toronto, Canadá, à margem da competição militar Invictus, criada por Harry, Obama admitiu estar preocupado com o futuro político e social dos EUA, embora não tenha mencionado o nome do seu sucessor na presidência dos EUA, Donald Trump.

O homem que governou os EUA entre 2009 e 2017 contou que sentiu uma “serenidade” depois de deixar a Casa Branca, apesar de ter “sentimentos contraditórios” pelo trabalho que disse não ter conseguido realizar.

Sobre o fim da sua residência na Casa Branca, Obama contou que ficou com a”a sensação de ter corrido uma boa corrida”,  antes de contar que a sua nova rotina o deixa mais satisfeito. “Passei a poder acordar mais tarde e é maravilhoso controlar o meu dia”, disse.

Outro assunto no diálogo, entre aquele que foi o 44º Presidente dos EUA e o quinto homem na linha de sucessão do trono da Grã-Bretanha, foi o impacto das redes sociais no mundo. Para Obama a utilização indevida das redes sociais pode distorcer a realidade e difundir a desinformação.

Obama admitiu mesmo que receia um futuro no qual os factos podem ser descartados e onde as pessoas só leem, ouvem e aceitam aquilo que vai ao encontro dos próprios pontos de vista. O ex-Presidente dos EUA utilizou até o termo “balcanização” da sociedade através da Internet, para alertar para os perigos inerentes à utilização das redes sociais.

“Todos nós, líderes, temos de encontrar formas que permitam manter um espaço comum na Internet”, defendeu Obama. “Um dos perigos é que na rede as pessoas podem ficar numa bolha de informação que apenas reforça os seus preconceitos”, acrescentou.

A conversa entre Harry de Inglaterra e Barack Obama já tinha sido anunciada por Kensington, no dia 18 de dezembro, com o príncipe a revelar-se “nervoso” por entrevistar aquele que foi o primeiro Presidente negro dos EUA.

 

 

Recomendadas

Consórcio confirma existência de petróleo em São Tomé e Príncipe

O consórcio é composto pela Galp STP (operador) com 45% de interesses participativos, Shell STP com 45%, e a ANP–STP, em representação do Estado são-tomense, com 10% de interesses participativos.

Bósnia-Herzegovina: eleições ensombradas por milhares de votos inválidos

Quatro dias após as eleições, ainda não há resultados validados e o risco do não reconhecimento do ato eleitoral ou da sua repetição é grande. Entretanto, na República Srpska, Mirolad Dodic jura fidelidade a Moscovo.

Lado turco de Chipre exige reconhecimento às forças de paz da ONU

A República Turca do Chipre do Norte, país que só a Turquia reconhece, quer que a força de paz da ONU, que está no terreno desde 1964, reconheça a existência do país. Ou então que se retire.
Comentários