Privatização da EFG deve estar concluída na primeira metade de 2015, informa Mota-Engil

A Mota-Engil informou o mercado que conta ter concluído o processo de privatização da EGF, adquirida por um consórcio seu, durante a primeira metade de 2015. Em nota publicada na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Mota-Engil traça um retrato global do processo de privatização, sem acrescentar grandes novidades mas reiterando a determinação […]

A Mota-Engil informou o mercado que conta ter concluído o processo de privatização da EGF, adquirida por um consórcio seu, durante a primeira metade de 2015.

Em nota publicada na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Mota-Engil traça um retrato global do processo de privatização, sem acrescentar grandes novidades mas reiterando a determinação em concluir até à primeira metade do próximo ano o negócio.

A Mota-Engil assinala também que se a EGF tivesse influência já nas contas de 2013, a divisão de ambiente e serviços da empresa teria atingido um volume de negócios de 565 milhões de euros.

O consórcio SUMA, liderado pela Mota-Engil, foi o vencedor do concurso para a privatização de 95% do capital da EGF, a sub-holding do grupo Águas de Portugal.

O vencedor ficou com 95% do capital social da EGF (Empresa Geral do Fomento), a empresa responsável pela recolha, transporte, tratamento e valorização de resíduos urbanos, através de 11 empresas de norte a sul do país que têm como acionistas a empresa estatal Águas de Portugal (51%) e os municípios (49%).

OJE/Lusa

Recomendadas

Prémio “João Vasconcelos – Empreendedor do ano 2022” atribuído aos fundadores da Coverflex

O prémio de “Empreendedor do Ano” foi entregue pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, e por Bernardo Correia, ‘country manager’ da Google Portugal, entidade parceira desta edição.

Empresa aeronáutica prevê 6 milhões para começar a produzir aviões em Cabo Verde

“Venho elaborando este projeto já há dois anos, criei a empresa Aeronáutica Checo-Cabo-verdiana, empresa que irá produzir os aviões da Orlican e Air Craft Industries em Cabo Verde”, afirma Mónica Sofia Duarte.

BPI e FCT financiam 20 projetos e nove ideias para o desenvolvimento sustentável no Interior

A edição de 2022 do Programa Promove, uma iniciativa da Fundação “la Caixa”, em colaboração com o BPI e em parceria com a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), concedeu apoios a fundo perdido de perto de 3,6 milhões a um total de 20 projetos e nove ideias destinados a impulsionar o desenvolvimento sustentável de regiões do interior de Portugal.