Procura por construção nova registou quebra homóloga de 45,1% em novembro

Também as outras categorias de imobiliária registaram descidas expressivas em relação a novembro de 2021: nos apartamentos, (40,6%), nas moradias (40,4%) e nos terrenos, quintas e herdades (33,6%).

A procura por construção nova em Portugal registou uma descida de 45,1% em novembro, face ao mesmo período de 2021, numa tendência negativa que se estendeu também às restantes categorias do mercado imobiliário, tal como revelam os dados do estudo do portal ‘Imovirtual’ esta quinta-feira, 24 de novembro.

Na procura por apartamentos verificou-se uma quebra de (40,6%), nas moradias (40,4%) e nos terrenos, quintas e herdades (33,6%).

Em comparação com o mês de outubro de 2022, a construção nova foi a única que registou um aumento na procura (7%), sendo que nos apartamentos a descida foi de 13,5%, nos terrenos 12,5% e nas moradias, quintas e herdades 7,4%.

Olhando para as duas principais cidades do país, em novembro observou-se um aumento da procura por nova construção, face a outubro, no Porto de 20,3% e em Lisboa de 9,8%. No top das regiões com maior procura de apartamentos (Lisboa, Porto, Braga, Setúbal e Faro), apenas a capital algarvia continuou estável na procura face ao mês anterior (+0,4%), com os outros distritos a registarem quebras de 13% a 20% em relação a outubro.

Por outro lado, as quintas e herdades registaram crescimentos na procura em quase todos os distritos: Évora (3,5%), Braga (4,6%), Lisboa (3,6%) e Viseu (18,5). A única descida do top-20 foi Setúbal (20%).

Já no caso dos terrenos, apenas Faro (18,7%) e Lisboa (3,9%) registaram um aumento da procura em novembro, face a outubro. Entre os restantes distritos mais procurados para terrenos, Braga teve uma quebra de 10%, Setúbal de 13,8% e o Porto de 27%.

Diogo Lopes, Marketing Manager do Imovirtual, refere que “temos observado algumas consequências da atual situação social e económica, nomeadamente o aumento da inflação e também das taxas de juro, que influenciam o crédito à habitação. Desta forma, observamos um decréscimo significativo da procura em relação a 2021, com uma estabilização em relação aos meses anteriores do ano atual. É interessante, no entanto, analisar que a procura por nova construção aumenta, o que pode indicar investimento estrangeiro”.

Recomendadas

Investimento no sector de retalho cresceu 170% em Portugal até setembro

A análise europeia da consultora Savills revela que o investimento em centros comerciais representou 27% de toda a atividade de investimento no segmento de retalho, em comparação com os 14% verificados no período homólogo do ano passado.

Preço das casas para arrendar em Portugal subiu 2,9% em novembro (com áudio)

No final do mês de novembro, arrendar casa tinha um custo de 12,5 euros por metro quadrado.

Just a Change está a angariar fundos para reabilitar casas em Portugal

O objetivo passa não apenas por melhorar as condições habitacionais, mas também gerar impacto em áreas como a saúde, segurança, conforto e bem-estar.
Comentários