Produção automóvel abranda 3% em novembro

Volume de produção de automóveis tem vindo a abrandar ao longo do ano. Mercado externo é o destino da maioria dos veículos produzidos.

A produção de automóveis em Portugal desacelerou nos primeiros onze meses deste ano. Os números divulgados esta quarta-feira pela ACAP (Associação do Comércio Automóvel de Portugal) mostram que durante no mês de novembro foram produzidos 13 441 veículos automóveis, o que, comparativamente com o período homólogo, representa uma queda de 2,7%.

Embora esta descida seja menos acentuada que a do mês anterior, mantém a tendência de quebra nos ritmos de produção que tem sido registada ao longo de todo o ano de 2016.

No total terão sido produzidos 9.198 veículos ligeiros de passageiros, 3.905 veículos comerciais ligeiros e 338 veículos pesados. A maior quebra foi registada nos veículos pesados (-27%), seguida dos comerciais ligeiros (-3,9%) e dos ligeiros de passageiros (-1,0%).

Em termos de valores acumulados, de janeiro a novembro deste ano, foram produzidos em Portugal 134.347 veículos novos (menos 10,5% que no período homólogo). A produção de veículos ligeiros de passageiros foi o que registou uma maior quebra (-16,7%).

A exportação de veículos automóveis continua a ser líder no mercado nacional de exportações, com um volume de negócios superior a 18 mil milhões de euros. A Europa continua a ser o principal comprador dos automóveis produzidos em Portugal, totalizando 90,8% das exportações. Alemanha (23,3%) Espanha (15,5%) e Reino Unido (11,7%) são os três países europeus que mais contribuem para a balança das exportações automóveis.

Recomendadas

Musk avança para a compra do Twitter e ações disparam 22%

O CEO da Tesla, Elon Musk, voltou atrás na negociação e concordou em comprar o Twitter pelo preço original acordado de 44 mil milhões de dólares. As negociações da tecnológica na bolsa norte-americana foram interrompidas aquando do anúncio e retomaram a valorizar 22%.

Amazon congela contratações para a área de retalho

A gigante do comércio eletrónica pausou todas as contratações de executivos para a sua unidade de retalho e interrompeu os processos de recrutamento em curso. Também Google, Apple e Meta já tomaram medidas semelhantes.

Celsius. Depois da insolvência, CEO e co-fundador de saída

O co-fundador e Chief Strategy Officer da Celsius, uma plataforma de criptomoedas, S. Daniel Leon, está de saída. A decisão foi conhecida uma semana depois da demissão do CEO, Alex Mashinky, e poucos meses depois do aberto o processo de insolvência.
Comentários