Produção automóvel cresce 20,5% em outubro

A produção de veículos automóveis cresceu 20,5% em outubro, face ao mesmo mês do ano passado, impulsionada pelo aumento de trabalho na fábrica da Autoeuropa, indicam os dados da ACAP. De acordo com os números divulgados pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP), em outubro produziram-se 15 333 automóveis em Portugal. Destes, 11 974 eram veículos […]

A produção de veículos automóveis cresceu 20,5% em outubro, face ao mesmo mês do ano passado, impulsionada pelo aumento de trabalho na fábrica da Autoeuropa, indicam os dados da ACAP.

De acordo com os números divulgados pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP), em outubro produziram-se 15 333 automóveis em Portugal. Destes, 11 974 eram veículos ligeiros de passageiros, o que se traduziu num acréscimo de 33,6% na produção desse mês face ao mesmo período de 2013.

Quanto à fábrica da Autoeuropa (Volkswagen), registou uma produção de 11 040 ligeiros de passageiros em outubro, equivalente a 92,2% do total de unidades desta classe fabricadas em Portugal, e representando um crescimento de 50,4% face ao mesmo período do ano passado.

Em contrapartida, a produção de ligeiros de passageiros na fábrica da Peugeot Citroen diminuiu 42,6% em termos homólogos, caindo para 934 unidades.

O acréscimo de automóveis fabricados em outubro, além da Autoeuropa, foi também determinado pela produção de pesados, que subiu 6,2% para um total de 310 unidades, incluindo pesados de mercadorias e de passageiros.

Já o número de comerciais ligeiros baixou 12,1%, para 3.049 veículos.

No período acumulado de janeiro a outubro, o fabrico de veículos automóveis em Portugal cresceu 8% relativamente aos dez primeiros meses do ano anterior, totalizando 140 685 unidades. Destas, 135 996 destinaram-se à exportação, informa também a ACAP.

No que respeita aos principais mercados das vendas para o exterior, entre janeiro e outubro, a União Europeia foi destino de 74,4% da produção nacional, destacando-se a Alemanha, que importou 21,6% dos veículos produzidos, seguida da França (13,0%) e do Reino Unido (10,3%).

Quanto ao continente asiático, foi destino de 18,1% dos veículos exportados, sendo que a China importou 16,4% da produção automóvel portuguesa e manteve-se como segundo maior mercado desta indústria, ultrapassada apenas pela Alemanha.

OJE/Lusa

Recomendadas

BNA levanta suspensão da participação no mercado cambial imposta ao Finibanco Angola

O Finibanco Angola tinha sido suspenso de participar no mercado cambial, por um período de 45 dias, pelo Banco Nacional de Angola (BNA), depois de o supervisor bancário angolano detectar incumprimentos durante uma inspecção pontual, em meados de agosto.

“Café com o CEO”. Assista à conversa com o Dr. Luís Teles, em direto a partir de Luanda

“Café com o CEO” é uma iniciativa promovida pela empresa angolana E.J.M, fundada por Edivaldo Machado em 2012, que procura dar a conhecer os líderes que estão a dar cartas em Angola e outros países da Lusofonia. Assista à sessão em direto de Luanda, capital angolana.

Rogério Carapuça: “Há que estar entre os primeiros, não ser o primeiro dos últimos”

O presidente da APDC considera que o desenvolvimento do sector das TIC se dá a um ritmo saudável apesar dos obstáculos concretos que ainda impedem o país de estar entre os melhores classificados. A capacitação e qualificação das pessoas e das empresas são desafios no topo da agenda, mas a simplificação é palavra de ordem para abandonar o paradigma da burocracia que assombra os serviços públicos, alerta Rogério Carapuça.