Professores: Sindicato Independente lança ação judicial contra Segurança Social

Segundo o sindicato, é completamente ignorado que o horário semanal dos docentes integra uma componente letiva e também uma componente não letiva.

O Sindicato Independente de Professores e Educadores (SIPE), em representação dos seus associados, moveu uma ação judicial contra a Segurança Social, visando repor a legalidade nos descontos dos docentes contratados com horário incompleto. A ação foi apresentada esta quinta-feira no Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto.

Em comunicado, o sindicato admite avançar com novas ações ao longo do presente ano, devido ao crescente número de relatos dos seus associados em matéria de irregularidades.

As irregularidades resultam – segundo Júlia Azevedo, presidente do SIPE – da “ausência de uniformidade por parte dos agrupamentos de escolas em relação aos descontos comunicados para a Segurança Social dos professores contratados que detenham um horário incompleto”.

Esta responsável explica que é completamente ignorado que o horário semanal dos docentes integra uma componente letiva e também uma componente não letiva e exige que os órgãos competentes legislem de forma “explícita e inequívoca”, no sentido de serem considerados 30 dias de descontos para todos os docentes contratados.

A iniciativa é uma das medidas aprovados pelo SIPE no plenário de 1 de dezembro último, que visa o combate às ilegalidades cometidas no acesso às prestações sociais por parte dos docentes, como o subsídio de desemprego ou o subsídio de maternidade e paternidade, e pela justiça no acesso à reforma por estes docentes.

Recomendadas

Portugal está na frente na diretiva sobre plásticos de uso único

“Portugal está no pelotão da frente porque já transpôs grande parte” da diretiva e propôs até medidas bastante ambiciosas, por exemplo, em termos de redução de copos de bebidas e embalagens de plástico para ´take away´ (redução de 80% até final de 2026 e de 90% até 2030, tendo por referência os valores de 2022), diz o comunicado da Zero.

Investigadores de Coimbra “preparam” refeições à base de algas da Figueira da Foz

Algas existentes nos penedos da praia da Tamargueira, em Buarcos, Figueira da Foz, estão na base de um projeto que inclui sopas, pratos salgados e sobremesas.

Emitido mandado de detenção para Vale e Azevedo

O Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa emitiu hoje um mandado de detenção para o antigo presidente do Benfica João Vale e Azevedo, alegando que se recusa a comparecer perante o juiz.
Comentários