Programa do Governo já foi entregue à Assembleia da República. Leia aqui

O novo Governo já entregou o programa à Assembleia da República. Documento será apresentado ao país esta tarde.

O presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva (D), acompanhado pela ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes (E), após ter recebido o Programa do XXIII Governo Constitucional , na Assembleia da República, em Lisboa, 01 de abril de 2022. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Empossado o XXIII Governo Constitucional, o terceiro de António Costa Costa, procedeu-se à entrega do programa ao presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva nas mãos da ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes.

A entrega formal foi feita na sala de visitas do parlamento pouco antes das 12:30, no formato que habitualmente acontece na entrega dos Orçamentos do Estado.

O documento, que foi aprovado na quinta-feira na primeira reunião do Conselho de Ministros, será apresentado esta sexta-feira pelas 15h durante um briefing do Conselho de Ministros sendo que, na próxima quinta e sexta-feira, constatará no topo da agenda da reunião plenária do novo Parlamento.

Leia aqui o programa na íntegra.

Recomendadas

Carlos Cesar: É altura de se resolverem os congelamentos dos salários

O presidente do PS considera que o Governo deve atender aos problemas com salários que estiveram congelados nos dois anos de pandemia da covid-19 e entende que o executivo socialista tem plenas condições políticas para cumprir a legislatura.

Relação Portugal-Angola entrou numa fase de maturidade

O embaixador português em Luanda considera que a relação Portugal-Angola é hoje pautada pela “maturidade”, depois de ultrapassados os momentos “irritantes” e com a passagem do tempo a amenizar a “turbulência” recente entre os dois países.

Paulo Raimundo apela a “forte mobilização” dos sindicatos e profissionais na defesa do SNS

O secretário-geral do PCP disse, este sábado, que para o PCP, o que é necessário é “aumentar a prevenção e a resposta e não fazer da gravidez, do parto e da saúde das crianças mais um negócio”.
Comentários