Projeto de nacionalidade do Livre pode ferir princípio da igualdade constitucional

A proposta de Joacine Katar-Moreira vai ser discutida juntamente com os do BE, PCP e PAN. No entanto, esta mesma pode excluir os indivíduos que querem ser portugueses que nasceram entre 2006 e 2015.

joacine_katar_moreira_livre
Mário Cruz/Lusa

O projeto de nacionalidade apresentado pelo partido Livre para alterar a lei pode conter uma violação do princípio constitucional, revela o jornal ‘Público’ na edição desta sexta-feira, 29 de novembro. De acordo com a publicação, em causa está a criação de um regime diferente para os cidadãos nascidos entre 1981 e 2006.

Joacine Katar-Moreira, a única deputada em representação do Livre no Parlamento, defende numa proposta a alteração das condições de atribuição da nacionalidade originária, sendo que estas devem ser atribuídas “a indivíduos nascidos entre 1981 e 2006 no território português, filhos de estrangeiros que declarem que serem ser portugueses”.

O constitucionalista Tiago Duarte, ouvido pelo ‘Público’, garante que “a Constituição apenas estabelece a não retroatividade das normas restritivas de direitos e não das normas que conferem direitos, como é aqui o caso”. O constitucionalista sustenta que a versão da lei de 2015 já permitia a atribuição de nacionalidade a netos de portugueses nascidos no estrangeiro, mesmo antes da lei entrar em vigor, sendo que as datas propostas por Joacine já estão incluídas na retroatividade.

Tiago Duarte, professor de Direito Constitucional na Universidade Católica, adianta, por sua vez, que a aplicação retroativa da lei estava clara, sendo que neste projeto de lei o mesmo não se verifica. Assim, a proposta de Joacine cria um problema: o facto de apenas ser reconhecida a nacionalidade a quem nasce entre 1981 e 2006, sendo que deixa de fora quem nasceu depois de 2006 e antes de 2015, aquando da entrada em vigor das novas regras.

Relacionadas

Semana quente do Livre. A polémica com Joacine em 15 episódios

A polémica com a deputada do Livre agudizou-se ao longo desta semana, entre críticas aos jornalistas, um assessor que se tornou conhecido na opinião pública e a tensão pública entre Joacine e a sua direção do seu partido, menos de dois meses depois de ser eleita.

Livre ainda pode recorrer para o plenário para discutir Lei da nacionalidade a 11 e dezembro

A deputada única do Livre ainda pode recorrer para o plenário do parlamento para fazer respeitar o regimento e ver o seu projeto de lei incluído na discussão sobre a Lei da nacionalidade em 11 de dezembro.

“Não há outra forma”. Se pressão dos jornalistas continuar, assessor de Joacine volta a chamar segurança

Rafael Esteves Martins sublinhou que Joacine Katar-Moreira tem uma cultura de trabalho “de descanso, no sentido intelectual do termo” e que caso a pressão mediática continue vai voltar a pedir-se que os seguranças afastem os jornalistas porque “não haverá outra forma”. 

Joacine: “Identifico-me com o Livre e o Livre identifica-se comigo”

A deputada do Livre nega que exista uma divergência programática entre si e os membros da direção do Livre, depois de vários dias de tensão.

Projeto de lei tardio do Livre sobre nacionalidade sem consenso para admissão a debate

O projeto de lei do Livre para alterar a legislação da nacionalidade, entregue hoje no parlamento fora do prazo para o debate conjunto, não mereceu o consenso necessário para ser arrastado para a sessão plenária de 11 de dezembro.
Recomendadas

Ricardo Leão: “Falta, acima de tudo, comunicação e coordenação no Governo”. Ouça o podcast “Discurso Direto”

Discurso Direto é um podcast do Novo Semanário e do Jornal Económico onde todas as semanas são entrevistados os protagonistas da política, da economia, da cultura e do desporto. Ouça a entrevista a Ricardo Leão, presidente da Câmara Municipal de Loures eleito pelo PS.

Marcelo nega estar cansado da Presidência e diz que “seria mau” encurtar mandato em contexto de crise

“Não, não estou cansado da Presidência e, pelo contrário, é mais necessário mais Presidente num momento de mais crise, como é evidente”, defendeu Marcelo Rebelo de Sousa.

Ricardo Leão: “Falta, acima de tudo, comunicação e coordenação no Governo”. Veja o “Discurso Direto”

Discurso Direto é um programa do Novo Semanário e do Jornal Económico onde todas as semanas são entrevistados os protagonistas da política, da economia, da cultura e do desporto. Veja a entrevista a Ricardo Leão, presidente da Câmara Municipal de Loures eleito pelo PS.
Comentários