Projeto “Ponte nas ondas” integra Boas Práticas de Património Imaterial da UNESCO

O projeto luso-galaico “Ponte nas Ondas” foi hoje reconhecido pela UNESCO, em Rabat, Marrocos, passando a integrar o Registo de Boas Práticas de Salvaguarda de Património Cultural Imaterial daquela organização internacional, tornando-se na primeira candidatura portuguesa da lista.

A confirmação aconteceu hoje na 17.ª sessão do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO, na sigla em inglês), que está a decorrer há dias em Rabat, Marrocos.

Em comunicado enviado às redações, a Associação Cultural e Pedagógica Ponte…nas Ondas! congratulou-se com o reconhecimento de “um programa cultural nascido nas aulas portuguesas e galegas [que] foi considerado pela UNESCO um exemplo para o mundo”.

De acordo com o texto, a UNESCO destacou ainda “o empenho dos professores que há mais de 25 anos sensibilizam os mais novos sobre a preservação do património cultural na fronteira de Galiza e Portugal”.

Segundo a associação, a UNESCO realçou ainda que “a utilização das rádios escolares, a lusofonia, o rico legado da tradição cultural” comum às duas regiões vizinhas “e o êxito entre os mais jovens impulsionaram este programa educativo sobre a divulgação do património”.

Para a UNESCO, “tudo isto serve de inspiração para o entendimento em zonas transfronteiriças e em países em desenvolvimento”.

Também em comunicado, a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) felicitou a Associação Cultural e Pedagógica Ponte…nas ondas pela inscrição da sua candidatura, sublinhando tratar-se da “primeira vez que Portugal vê inscrita uma candidatura no registo de Boas Práticas de Salvaguarda da UNESCO”.

A DGPC “enaltece a importância deste projeto transfronteiriço, reconhecendo-o como exemplo meritório da forma como as comunidades de dois países têm trabalhado em conjunto em prol da salvaguarda de um património comum”.

O projeto Ponte… nas Ondas! nasceu há mais de 25 anos nas escolas do sul de Pontevedra, em Espanha, e do Alto Minho, em Portugal.

Através da associação com o mesmo nome, o trabalho desenvolvido foi no sentido de “salvaguardar o património cultural imaterial na fronteira portuguesa e galega, mediante a criação de espaços onde o património se pudesse praticar e transmitir às gerações mais novas”.

O professor e coordenador da Associação Cultural e Pedagógica Ponte…nas Ondas!, Santiago Veloso, citado na nota, adiantou que a inclusão do projeto na lista da UNESCO reconhece “uma trajetória de 27 anos e um modelo próprio criado na fronteira de Portugal e da Galiza, onde se integra o património e a rádio escolar, numa fórmula única”.

Santiago Veloso espera que esta “oportunidade histórica sirva de inspiração para o entendimento em zonas transfronteiriças em conflito”.

A candidatura multinacional hoje inscrita na lista da UNESCO, apresentada por Portugal e Espanha com o apoio da Junta da Galiza, foi formalizada em março de 2021.

Recomendadas

2023 promete ser um ano em cheio para Serralves

Serralves abraçou o mote “Onde o futuro se cruza com a memória”, num ano em que celebra o centenário do seu emblemático Parque e a abertura da nova ala do Museu. Mas há muitas mais razões para espreitar a programação.

Grandes nomes da fotografia norte-americana do séc. XX na Casa dos Cubos

A coleção “Farm Security Administration” é um dos mais extraordinários arquivos fotográficos da História e está agora em exposição no Centro de Estudos de Fotografia – Casa dos Cubos, em Tomar, até dia 19 de março.

Balena cria materiais biodegradáveis para a moda

A Balena criou um termoplástico biodegradável e compostável que pode ser integrado nos processos de fabrico de vestuário existentes.
Comentários