Projeto premiado limpa e reaproveita lixo do fundo do mar

Pólo de Inovação em Engenharia de Polímeros, interface da Universidade do Minho, e empresas Neutroplast, JustDive e Bitcliq vencem Prémio Inova+ e querem retirar cinco toneladas de plástico junto a Peniche para produzir 2,5 toneladas de pellets.

O PIEP – Pólo de Inovação em Engenharia de Polímeros, da Universidade do Minho, e as empresas Neutroplast, JustDive e Bitcliq venceram o Prémio Inova+ Excelência Empresarial em Sustentabilidade de Recursos Naturais e Ecossistemas, com um projeto que limpa e reutiliza o lixo do fundos dos oceanos.

“SeaRubbish2Cap”, assim se designa o projeto, visa identificar e recuperar o lixo do leito oceânico sem danos para o ecossistema, tratando depois os resíduos plásticos, de modo a poderem ser incorporados em produtos de valor acrescentado.

Renato Reis, investigador do PIEP, explica que a pesquisa vai incidir nos processos de recolha e limpeza dos resíduos, na sua transformação em “formato comercial” (grânulos) e na valorização pela introdução desses materiais no processo produtivo de novas embalagens, bem como no desenvolvimento de uma aplicação para smartphone que permite registar e geolocalizar artes de pesca perdidas.

A meta é retirar cinco toneladas de plástico ao largo de Peniche para se produzirem mais de 2,5 toneladas de pellets para embalagens.

No final, pretende-se desenvolver um novo mercado onde os agentes locais da pesca operam e vendem o desperdício plástico marinho à indústria ou a outros interessados. “É um projeto de futuro com uma verdadeira abordagem de sustentabilidade, pela importância de protegermos o meio ambiente, e o prémio é o reconhecimento do trabalho de toda a equipa”, acrescenta Renato Reis.

Há também a intenção de replicar o modelo do “SeaRubbish2Cap” em todo o mundo. O projeto é financiado pela Islândia, Liechtenstein e Noruega, através do Programa Crescimento Azul dos fundos EEA Grants.

O prémio, no valor de cinco mil euros, foi atribuído pela consultora Inova+. Este concurso de excelência empresarial e científica na inovação nacional teve o Alto Patrocínio do Presidente da República e a parceria da Agência Nacional da Inovação, do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos e da Associação Industrial Portuguesa.

Recomendadas

Humanidade só se salva se defender o planeta Terra e a biodiversidade- Guterres

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, afirmou hoje que a única saída para salvar a Humanidade é “investir no planeta Terra” e deter a perda de biodiversidade.

Associação Zero: Legislação de proteção dos solos está “na gaveta” há sete anos

De acordo com a nota de imprensa, um estudo da Agência Portuguesa do Ambiente, de 2017, concluiu que o país “ganharia cerca de 25 milhões de euros em seis anos, em resultado da publicação do ProSolos, aos quais se acrescentariam ganhos ambientais e na saúde pública”.

Guia para gestão de Áreas Marinhas Protegidas quer ser “ferramenta útil”, afirma investigador

O “Guia de Boas Práticas para a Gestão e Monitorização de Áreas Marinhas Protegidas”, apresentado hoje, pretende ser “uma ferramenta útil” e simples para as pessoas que trabalham na área, disse um dos autores do documento à agência Lusa.
Comentários