Proposta do Governo Regional para os estudantes poderá beneficiar cerca de sete mil alunos

De referir que entre as propostas do Governo Regional está a existência de quotas nas residências das universidades, à semelhança do que acontece no concurso nacional de acesso ao ensino superior, um sistema de apoio ao arrendamento, ou ainda a contratualização de um número de camas ou quartos com as residências privadas.

A maioria dos estudantes madeirenses no Continente está nas cidades de Lisboa e Porto, mas há estudantes da Região em todas as cidades do país onde é ministrado o ensino superior.

A proposta escolhida pelo Governo Regional da Madeira relativamente ao alojamento dos estudantes madeirenses no continente poderá beneficiar cerca de sete mil alunos, segundo as estimativas da Secretaria Regional de Educação, ou seja, 70% dos alunos que frequentam o ensino superior estão no Continente.

De referir que entre as propostas do Governo Regional está a existência de quotas nas residências das universidades, à semelhança do que acontece no concurso nacional de acesso ao ensino superior, um sistema de apoio ao arrendamento, ou ainda a contratualização de um número de camas ou quartos com as residências privadas.

A Secretaria Regional de Educação informa que estes alunos estão principalmente nas cidades de Lisboa e Porto, quer pela dimensão das universidades e oferta de cursos, quer pela questão da acessibilidade, sendo que Coimbra, Braga e Aveiro estão logo a seguir às duas grandes cidades do país no número de estudantes madeirenses. No entanto, a Secretaria diz que há estudantes da Região Autónoma da Madeira (RAM) em todas as cidades onde é ministrado o ensino superior.

O Governo Regional afirma que é difícil fazer qualquer previsão sobre o número de alunos que entrará no próximo ano letivo, altura em que o Executivo madeirense está a pensar implementar a medida, já que, embora neste ano letivo se tenha ultrapassado pela primeira vez o número dos 1.500 alunos colocados na primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, o que se tem verificado nos últimos anos é que o número tem vindo a decrescer.

Relacionadas

PremiumGoverno Regional estuda três cenários para alojar estudantes madeirenses no continente

Quotas para os estudantes da Madeira nas residências das universidades, um sistema de apoio ao arrendamento ou contratualização de quartos ou camas com residências privadas são as propostas em cima da mesa.
Recomendadas

IPLeiria: estudantes com necessidades específicas aumentam 60% em três anos

No ano letivo 2021/22 estudavam no Politécnico de Leiria, 111 alunos ao abrigo do estatuto de estudantes com necessidades específicas.

Investigadores do Politécnico de Leiria estudam produção sustentável de papaias em aquaponia

O estudo tem uma duração de cerca de 12 meses e pretende comparar as características morfológicas e de crescimento das plantas, sob o efeito de dois substratos: leca versus tijolo triturado.

Premium“Os nossos alunos não têm ‘apenas’ emprego, têm escolhas”

O ISEL cobre todas as áreas da Engenharia no ensino e investigação. Segundo o seu presidente, José Nascimento, Portugal tem de ultrapassar o preconceito do ensino politécnico e investir mais na atratividade salarial.
Comentários