PRR financia em 9 milhões residências do IPS em Sines e Barreiro

Está aprovado. O Instituto Politécnico de Setúbal vai construir duas residências universitárias nos concelhos de Sines e do Barreiro e ampliar a que tem na cidade sadina. Objetivo?

Está aprovado. O Instituto Politécnico de Setúbal vai construir duas residências universitárias nos concelhos de Sines e do Barreiro e ampliar a que tem na cidade sadina. Objetivo? Dispôr de um total de 476 camas para responder às necessidades dos estudantes deslocados.
As candidaturas foram apresentadas no âmbito do Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior (PNAES) e já estão aprovadas e homologadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, tendo garantido um financiamento de cerca de 9 milhões de euros do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR).

Na Residência de Estudantes de Santiago, localizada nas imediações do campus de Setúbal, está prevista a renovação e expansão do edifício existente. A intervenção resultará em 85 camas adicionais, perfazendo um total de 379 vagas. Prevê-se que esteja concluída até fevereiro de 2025.

No Barreiro, onde está instalada a escola de tecnologia, ESTBarreiro/IPS, vai nascer um alojamento num terreno cedido pelo município, com capacidade para 50 camas. A terceira construção destina-se a servir a nova escola do Alentejo Litoral a nascer em Sines. Num terreno cedido pelo Município será disponibilizado alojamento para 45 estudantes. Barreiro e Sines deverão começar a ser ocupados mesmo no final de 2023.

Recomendadas

IPLeiria: estudantes com necessidades específicas aumentam 60% em três anos

No ano letivo 2021/22 estudavam no Politécnico de Leiria, 111 alunos ao abrigo do estatuto de estudantes com necessidades específicas.

Investigadores do Politécnico de Leiria estudam produção sustentável de papaias em aquaponia

O estudo tem uma duração de cerca de 12 meses e pretende comparar as características morfológicas e de crescimento das plantas, sob o efeito de dois substratos: leca versus tijolo triturado.

Premium“Os nossos alunos não têm ‘apenas’ emprego, têm escolhas”

O ISEL cobre todas as áreas da Engenharia no ensino e investigação. Segundo o seu presidente, José Nascimento, Portugal tem de ultrapassar o preconceito do ensino politécnico e investir mais na atratividade salarial.
Comentários