“Prudência”. Centeno dá o exemplo de Sócrates para explicar porque é que escalões de IRS são atualizados abaixo da inflação prevista

“A atualização dos escalões segue o princípio da prudência” e de “responsabilidade perante um futuro incerto”; destacou o ministro das Finanças, apontando que em 2009 os “preços acabaram por cair”.

Cristina Bernardo

O ministro das Finanças explicou hoje porque é que a atualização dos escalões de IRS em 2020 vai ficar abaixo da inflação prevista para o próximo ano.

Mário Centeno deu o exemplo do que fez o Governo de José Sócrates para o Orçamento do Estado para 2009 quando a atualização dos escalões do IRS para esse ano foi feita com base na inflação prevista.

“A atualização dos escalões segue o princípio da prudência. A ultima taxa de inflação conhecida e aquela que o INE divulgou em novembro. Em média anual essa taxa é de 0,3%. Ditam as boas regras do controle orçamental e responsabilidade que nós não coloquemos à frente do tempo aquilo que são os desenvolvimentos económicos do país”, disse Mário Centeno esta terça-feira na conferência de imprensa a explicar a proposta do OE para 2020.

“Temos um excelente exemplo do risco que se corre quando as previsões não são confirmadas. Infelizmente, 2009 é um bom exemplo. Perante a expetativa de aceleração de crescimento dos preços tomaram se decisões que não tiveram essa tradução, em 2009 os preços acabaram por cair”, apontou o ministro das Finanças.

“Em nome da responsabilidade de que não abdicaremos, seguimos as boas praticas, que mais uma vez têm vindo a ser imitadas na Europa. Estas são as práticas que adotamos na lei de bases de segurança social. Não são apenas os escalões de IRS atualizados dessa forma, são todos os impostos”, afirmou.

Oficial. OE 2020: Governo atualiza escalões de IRS abaixo da inflação. Veja aqui os novos escalões

Relacionadas

Centeno: “O excedente orçamental não é um objetivo por si só”

Mário Centeno explicou hoje as contas públicas portuguesas para o próximo ano. O ministro destacou a coesão que existe hoje no Governo.
Recomendadas

Irão: Impacto das sanções dos EUA prejudica cooperação com Portugal

Mortza Damanpak Jami destaca que as relações comerciais podem sair afetadas, mas as culturais têm-se desenvolvido, com “muitas oportunidades e muitos programas ligados à cultura”.

Respostas Rápidas: como deve investir a pensar na reforma?

Com uma estrutura demográfica cada vez mais envelhecida, as dúvidas em torno da sustentabilidade da Segurança Social no médio-prazo reforçam o papel da poupança privada no rendimento dos portugueses em reforma, pelo que importa compreender os vários instrumentos financeiros ao seu dispor.

Respostas rápidas: é assim que pode ir para a reforma antes dos 66 anos e sete meses

Não tem 66 anos e sete meses, mas quer ir para a reforma? Há vários regimes que permitem a antecipação da pensão de velhice. O Jornal Económico explica, com base num guia do ComparaJá.
Comentários