PS critica oportunidades perdidas do Governo da Madeira para renovar frota pesqueira e considera apoios insuficientes

O PS acusa o Governo Regional de ter as prioridades erradas e critica o executivo por não ter usadas verbas de fundos comunitários e do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para a renovação da frota pesqueira de peixe-espada preto.

O PS criticou as oportunidades perdidas do Governo Regional para renovar a frota pesqueira de peixe-espada preto e considera que o apoio de um milhão de euros, inscritos na proposta de Orçamento Regional para 2023, é insuficiente.

“Por inércia do Governo, os armadores não tiveram a possibilidade de utilizar fundos comunitários para a renovação da frota pesqueira do peixe-espada preto. Agora que esses apoios já não existem, o Governo Regional tenta emendar a mão, inscrevendo no Orçamento do próximo ano um milhão de euros para distribuir por 23 embarcações, verba claramente insuficiente”, disse o presidente do PS Madeira, Sérgio Gonçalves.

“O apoio a fundo perdido é de apenas 50%, portanto muito poucos armadores terão capacidade de se financiar nos outros 50% e conseguir efetivamente promover a renovação da frota”, alerta o dirigente do PS.

Sérgio Gonçalves disse que existiu uma segunda oportunidade perdida pelo Governo Regional, com o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), onde o executivo teve quase 600 milhões de euros disponíveis, que não contemplaram a renovação da frota pesqueira, e também não incluíram apoios aos sectores primários e produtivos e ao tecido empresarial. Em vez disso, refere o PS, essas verbas do PRR foram na totalidade para investimento público.

O presidente do PS Madeira acusa o Governo Regional de ter as “prioridades erradas”, e lamenta que o sector da pesca, tão importante em Câmara de Lobos, e também para 250 pescadores e armadores, “sofram com essa falta de estratégia do executivo regional”.

Recomendadas

Madeira: PCP reclama desenvolvimento e justiça social para zonas altas

Herlanda Amado referiu que não tem existido um verdadeiro investimento para garantir a qualidade de vida e segurança de quem vive nestas localidades, salientando que os problemas sociais têm-se agravado.

Madeira: Retribuição mínima mensal de 785 euros aprovada na especialidade

O diploma que fixa a retribuição mínima mensal, na Madeira, em 785 euros segue para votação final global. Em breve entrará em vigor na Região.

Madeira: Comissão de inquérito ao favorecimento de grupos económicos e ‘obras inventadas’ tomou hoje posse

Os membros da comissão têm até ao dia 7 de fevereiro para apresentar as propostas de metodologia de trabalho. A primeira reunião foi agendada para o dia 9 de fevereiro, e visa analisar as sugestões dos diferentes partidos na condução dos trabalhos desta comissão que vai investigar o alegado “favorecimento a grupos económicos e ‘obras inventadas’”.
Comentários