PS destaca importância de substituição dos cabos submarinos que ligam Continente à Madeira e aos Açores

O PS salientou que a substituição dos cabos submarinos tem sido uma prioridade do governo que tem sido assegurada.

O deputado do PS, João Castro, identificou como “clara” a necessidade de substituição dos cabos submarinos que ligam o território continental à Madeira e aos Açores. O socialista salientou que esse processo é uma prioridade do Governo que tem sido assegurada.

“O futuro anel de ligação entre território continental, Madeira e Açores, terá cabos submarinos com muito maior capacidade, com novas funcionalidades e serviços, que permitirão a deteção sísmica, funcionalidades na área ambiental, interligação entre redes científicas, etc…”, disse João Castro, durante uma audição à Autoridade Nacional das Comunicações (ANACOM), que decorre na Comissão de Economia, Obras Públicas, Planeamento e Habitação.

O socialista expressou o desejo de que esse processo de substituição dos cabos submarinos “fosse mais célere”, mas salientou que o processo de substituição dos cabos submarinos “está a ser feito e bem feito”.

Já o deputado do PS, Carlos Pereira, defendeu que as regiões autónomas “deveriam atuar em cima” desses cabos submarinos.  “Devem ser as regiões a fazer essas decisões. Esse é o princípio da autonomia que nós não abdicamos, e que o PS não abdica”, acrescentou o socialista.

Recomendadas

Hoje é celebrado o Dia Internacional da Consciencialização sobre Perdas e Desperdício Alimentar

Na Europa, todos os anos, cerca de 89 milhões de toneladas de alimentos são deitados ao lixo. Em Portugal, estima-se que cada português desperdice cerca de 134 kg de alimentos por ano. Enquanto isto 1/6 da população mundial passa fome.

Madeira: Serviço Regional de Saúde visita Unidade de Ação Social do Hospital Garcia da Orta

A Unidade de Ação Social do SESARAM observou e conheceu a dinâmica e a metodologia de trabalho implementada na UHD do hospital e, em particular, a área de intervenção social.

Madeira: Acordos de gestão entre a Segurança Social e as IPSS vão passar para 20 anos

Neste sentido, com a presente alteração pretende-se adequar a duração dos acordos de gestão que envolvam a cedência de utilização do edificado em regime de comodato, onde sejam desenvolvidas respostas sociais, numa lógica de melhor aproveitamento dos recursos disponíveis.
Comentários