PS herdou do Governo PSD/CDS-PP um SNS em estado de “grande debilidade”, acusam socialistas

“O Governo do PS encontrou um SNS muito débil. Claro que continuam a existir problemas e são difíceis de resolver. Mas o esforço tem sido imenso e o investimento tem sempre vindo a crescer. A saúde, para o Governo do PS, é uma prioridade”, sustentou porta-voz da Comissão Permanente do PS.

O PS considera que o Governo socialista, quando iniciou funções, encontrou o Serviço Nacional de Saúde (SNS) em estado de “grande debilidade” e, desde então, está em curso “um esforço de recuperação” de um setor agora “prioritário”.

Esta posição foi hoje transmitida à agência Lusa pela porta-voz da Comissão Permanente do PS, Maria Antónia Almeida Santos, depois de o presidente do PSD, Rui Rio, ter afirmado na quinta-feira, em Viseu, que o primeiro-ministro, António Costa, compreendeu “todas as críticas que lhe foram feitas” sobre o SNS, cuja gestão socialista “foi catastrófica”.

Na resposta, Maria Antónia Almeida Santos interrogou-se sobre qual a palavra que Rui Rio “aplicaria à gestão do Governo PSD/CDS-PP, que, entre 2011 e 2015, cortou 1,2 mil milhões de euros na saúde e que depreciou em sete mil o número de profissionais do SNS”.

“O Governo do PS encontrou um SNS muito débil. Claro que continuam a existir problemas e são difíceis de resolver. Mas o esforço tem sido imenso e o investimento tem sempre vindo a crescer. A saúde, para o Governo do PS, é uma prioridade”, sustentou.

Nos quatro aos anteriores, com o Governo socialista, segundo Maria Antónia Almeida Santos, “foram repostos 1,4 mil milhões de euros, superando os cortes do executivo anterior PSD/CDS-PP”.

“Entre 2015 e 2019, foram acrescentados 14.800 profissionais, dos quais 3.900 são médicos, 5.600 enfermeiros e sete mil técnicos de diagnóstico e terapêutica”, continuou.

Também de acordo com a porta-voz do PS, para 2020, “haverá um reforço orçamental para a saúde na ordem dos 800 milhões de euros”.

“Nunca antes tinha assistido a um crescimento desta dimensão e já estou há uns anos a acompanhar as questões da saúde”, apontou a deputada socialista eleita pelo círculo de Setúbal.

Além dos 800 milhões de euros orçamentados para o próximo ano, Maria Antónia Almeida Santos referiu que o Governo já estabeleceu “um programa plurianual de investimentos de mais 190 milhões de euros em dois anos”.

“Ainda a somar a este esforço, até ao fim deste ano de 2019, estão previstos 550 milhões de euros para pagamentos em atraso. Saliento, ainda, o recrutamento de 8.400 profissionais de saúde em dois anos. Ora, se isto tudo é catastrófico, o que o dr. Rui Rio fala da gestão anterior do SNS?”, questionou novamente Maria Antónia Almeida Santos.

Nas declarações à agência Lusa, a porta-voz do PS defendeu que “os portugueses estão cada vez com mais acesso à saúde”, fazendo depois alusão aos números relativos a consultas e a cirurgias realizadas no SNS.

“Acho que vamos no bom caminho da recuperação”, acrescentou.

Recomendadas

Crise/inflação: Costa recusa razões para alarmismo sobre panorama dos créditos à habitação

António Costa procurou assegurar que o seu Governo está “atento” face ao impacto da subida dos juros nas prestações a pagar pelas famílias com créditos à habitação.

Costa espera privatização da TAP em 12 meses. Admite que Estado possa perder dinheiro

O primeiro-ministro disse hoje esperar que a privatização da TAP ocorra nos próximos doze meses, afirmando que “só se fosse irresponsável” é que garantiria que o Estado não irá perder dinheiro na transação, mas “espera que não”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.
Comentários