PS faz ultimato aos gestores da Caixa: ou entregam declarações ou saem

Carlos César, presidente da bancada socialista, defende que, se os administradores da Caixa não apresentarem as declarações de rendimentos ao Tribunal Constitucional, devem sair.

O presidente do PS, Carlos César em conversa com o secretário-geral do partido, António Costa

O presidente do PS, Carlos César, afirmou este domingo que a nova administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD), liderada por António Domingues, deve deixar funções caso não apresente a declaração de rendimentos e de património ao Tribunal Constitucional.

“O Tribunal Constitucional já notificou os administradores da CGD no sentido de que devem entregar [as declarações de património e de rendimentos]. Por isso, a questão é muito simples. Se no prazo adequado os administradores da Caixa o fizerem, está tudo bem; se não o fizerem, não devem continuar como administradores da CGD”, defende o líder socialista.

A declaração foi feita por Carlos César, aos jornalistas, após ter sido recebido pelo presidente da Câmara Municipal de Seia. O encontro será inserido no programa de três dias de Jornadas Parlamentares do PS, no distrito da Guarda.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Presidente da República dá posse a seis secretários de Estado, incluindo novo adjunto do primeiro-ministro

António Mendonça Mendes, que era secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, foi o primeiro a ser empossado. Deixou o ministério de Fernando Medina e vai ser secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, depois da demissão polémica de Miguel Alves.

Proposta do Chega para criar comissão de inquérito à gestão da pandemia será chumbada (com áudio)

Instrumentalização e banalização de comissões parlamentares de inquérito, esbanjamento de recursos, descredibilização de consensos e criação de ‘soundbite’ são as acusações dirigidas por PS, PAN e Livre ao Chega. Desde o início da legislatura, o partido já propôs cinco comissões parlamentares de inquérito, todas rejeitadas. O dia de hoje contribuirá para a tendência.
Comentários