PSD acusa Governo de autoritarismo e ministra da Agricultura de reação “descabelada”

O secretário-geral do PSD acusou o Governo de tiques de autoritarismo e de desrespeito pelas instituições, aludindo ao que considera uma reação “descabelada” da ministra da Agricultura em relação à CAP.

Foto: PSD

O secretário-geral do PSD, Hugo Soares, acusou o Governo de tiques de autoritarismo e de desrespeito pelas instituições, aludindo ao que considera uma reação “descabelada” da ministra da Agricultura em relação à Confederação dos Agricultores Portugueses (CAP).

“A reação da ministra da Agricultura [Maria do Céu Antunes] em relação à CAP é uma reação descabelada e que demonstra, mais uma vez, um total desrespeito por parte do Governo relativamente a instituições”, disse hoje à agência Lusa o secretário-geral do PSD, Hugo Soares.

Nas Caldas da Rainha, onde visitou a Expotur — Festa de Verão, Hugo Soares, considerou ter ficado “demonstrado mais uma vez esta semana que há um padrão de tiques de autoritarismo por parte do Governo do Partido Socialista”, que na sua opinião já tinha sido evidenciado aquando do despacho do primeiro-ministro, António Costa, relativamente ao caso da Endesa.

Depois de, no caso da energia, o Governo ter demonstrado “um total desrespeito relativamente a instituições”, agora, com as declarações de Maria do Céu Antunes, na quarta-feira, voltou a fazê-lo, no entender do social-democrata, “relativamente a parceiros sociais, a associações que são fundamentais para a construção de políticas públicas”.

Em nome do PSD Hugo Soares fez questão “de denunciar que este Governo demonstra todos os dias tiques de autoritarismo, confundindo aquilo que é uma maioria absoluta com o poder absoluto”.

O PSD, acrescentou o secretário-geral, “não vai deixar de denunciar estes casos”, que considerou “absolutamente lapidares”.

Hugo Soares reagia às declarações da ministra da Agricultura, na quarta-feira, quando instada pelos jornalistas a responder a críticas dirigidas à tutela pelo secretário-geral da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), que disse ser “inexistente” a resposta do Governo para mitigar o impacto da seca no setor da produção e alimentação animal.

Em resposta, Maria do Céu Antunes afirmou “É melhor perguntar porque é que durante a campanha eleitoral a própria CAP aconselhou os eleitores a não votar no Partido Socialista”.

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) classificou como “perplexizantes” as declarações da ministra da Agricultura, que defendeu carecerem de explicação, e garantiu não ceder a ‘bullying’ político.

Recorde-se que antes da reação dos PSD, o CDS avançou com a exigência da demissão da ministra da Agricultura.

 

Relacionadas

CDS exige a demissão da ministra da Agricultura, depois de acusação da CAP de “bullying político”

A iniciativa dos centristas surge depois de a ministra ter dado uma resposta “inqualificável e inaceitável” quando questionada sobre medidas para mitigar seca, tendo acusado a CAP de  aconselhar os eleitores a não votar no Partido Socialista”.
Recomendadas

PS/Madeira acusa Governo Regional de estar “alheado da realidade”

O líder do PS/Madeira acusou este sábado o Governo Regional e os partidos que o compõem o executivo insular (PSD e CDS) de estarem “alheados da realidade” e dos problemas dos madeirenses porque estão “fechados nos gabinetes”.

Aquilo que foi feito na TAP “foi um crime político e financeiro”, refere Luís Montenegro

O presidente do PSD, Luís Montenegro, afirmou este sábado que o que foi feito na TAP “foi um crime político e financeiro”, considerando que a vontade do Governo de privatizar a companhia não pode passar incólume.

Eleições no Brasil. Mais segurança nos locais de voto do Porto e Faro

Os consulados do Brasil no Porto e em Faro, tal como em Lisboa, terão reforço de segurança, privada e da PSP, nos locais de votação e áreas envolventes, para as presidenciais deste domingo, confirmaram responsáveis consulares.
Comentários