PSD acusa PS de usar “rolo compressor da maioria” para censurar declarações de deputados

O PSD acusou hoje o PS de recorrer ao “rolo compressor da maioria” absoluta para tentar censurar declarações de deputados, depois de um episódio registado na Comissão de Poder Local durante a audição da ministra Ana Abrunhosa.

“O PS quis apagar declarações de deputados, que usaram o seu tempo regimental, e soubemos o que foi o regresso ao lápis azul à democracia e ao sistema político português”, acusou o vice-presidente da bancada Luís Gomes, que esteve presente na comissão, numa referência aos tempos da censura.

O social-democrata condenou e lamentou a atitude da deputada socialista Isabel Guerreiro, que pediu para que fosse retirado das atas e da gravação da comissão o momento em que o deputado Carlos Guimarães Pinto pediu a demissão da ministra da Coesão Territorial.

“É absolutamente lamentável, não podemos condescender com este tipo de práticas”, criticou Luís Gomes, defendendo que os deputados são livres de dizer o que quiserem dentro dos seus tempos regimentais.

A Iniciativa Liberal (IL) já tinha condenado esta atitude, através de uma publicação de Carlos Guimarães Pinto, na rede social Twitter.

“Agora mesmo na audição à Ministra da Coesão Territorial uma deputada do PS pediu para que a gravação da minha intervenção sobre os fundos atribuídos ao marido da ministra fosse apagada. Incrível. Inacreditável em democracia”, escreveu o deputado da IL.

Em causa, está a notícia avançada pelo Observador que dá conta de que duas empresas do marido de Ana Abrunhosa receberam fundos comunitários da área por si tutelada.

Segundo o Expresso, o deputado liberal questionou esta manhã a governante sobre a “questão ética” subjacente ao facto de só uma das empresas detidas pelo cônjuge, a Thermalvet, ter recebido 133 mil euros da União Europeia (UE) e pediu que devolvesse o dinheiro ou se demitisse.

Recomendadas

Suspeitas de corrupção envolvendo altos quadros do Ministério da Defesa: cinco detidos e 19 arguidos

Em causa estão suspeitas de crimes de corrupção ativa e passiva, peculato, participação económica em negócio, abuso de poder e branqueamento – crimes relacionados com adjudicações da Administração Central a diversas empresas que terão lesado o Estado “em muitos milhares de euros”. Três altos quadros da Defesa estão entre os detidos.

Centeno defende que pico da inflação decorrerá este ano

O Governador do Banco de Portugal apontou que os últimos indicadores podem ser lidos com algum ânimo. Em novembro, o Índice De Preços no Consumidor (IPC) recuou 9,9%.

JE Bom Dia: Audições no Parlamento sobre envolvimento de forças de segurança em práticas violadoras do Estado de Direito

Lá fora, a Austrália poderá mudar de direção quanto à subida das taxas de juro depois de a inflação ter abrandado inesperada e abruptamente em  outubro. Em dia de reunião do Ecofin, serão também conhecidas as balanças comerciais dos Estados Unidos e Canadá em outubro, bem como a atividade dos transportes no terceiro trimestre em Portugal.
Comentários