PSD admite dar “segunda oportunidade” a Costa antes de ponderar inquérito parlamentar

O líder parlamentar do PSD admitiu hoje que o partido poderá dar “uma segunda oportunidade” e repetir questões ao primeiro-ministro ou colocar novas sobre uma eventual interferência no Banco de Portugal, antes de ponderar um inquérito parlamentar.

“O primeiro-ministro demorou 60 dias a responder às perguntas do PSD, temos o direito de, de forma ponderada e serena, analisar o texto do primeiro-ministro e equacionar se não devemos repetir novamente algumas questões e eventualmente colocar novas”, afirmou Joaquim Miranda Sarmento, em declarações aos jornalistas, dizendo que o partido decidirá “nos próximos dias”.

Questionado se exclui, como admitiu no passado, avançar com uma comissão de inquérito parlamentar, o deputado considerou que “as comissões de inquérito nunca são ameaças”.

“Não excluímos nenhum mecanismo parlamentar, não excluímos a comissão de inquérito. O mais provável, nesta fase, é que haja espaço para que o primeiro-ministro tenha uma segunda oportunidade para esclarecer os portugueses, dado que nesta primeira pouco ou nada esclareceu”, afirmou.

António Costa enviou na terça-feira ao parlamento a resposta às perguntas que lhe foram colocadas pelo PSD em 23 de novembro passado, depois de o ex-governador do Banco de Portugal Carlos Costa o ter acusado de pressão e de “intromissões políticas” no processo de afastamento da empresária Isabel dos Santos do BIC.

Recomendadas

A polémica com os custos da reconversão do antigo Hospital Militar de Belém

Em agosto de 2021, o Governo decide manter o antigo Hospital Militar de Belém sob o domínio das Forças Armadas e o ministro vinca que o objetivo de estabelecer uma unidade de cuidados continuados neste hospital se mantém.

Governo equaciona ter adidos de Segurança Social nos Estados Unidos da América

“É a primeira vez que estamos a fazer a divulgação do programa Regressar nos Estados Unidos. Temo-lo feito noutros países, essencialmente europeus, e procuramos fazê-lo agora também junto de outras comunidades portuguesas pelo mundo. Cerca de 15.680 famílias já foram abrangidas pelo programa”, disse a ministra, fazendo um ponto geral da situação.

Cravinho volta hoje ao parlamento para dar explicações sobre antigo Hospital Militar de Belém

No requerimento, apresentado na sequência das investigações judiciais no âmbito da operação “Tempestade Perfeita”, o PSD avança com um conjunto de 30 perguntas envolvendo o processo de reconversão do antigo Hospital Militar de Belém num centro de apoio à covid-19, cujos custos provocaram polémica ao terem aumentado de 750 mil euros para cerca de 3,2 milhões.
Comentários