PSD congratula-se com eventual recusa do Governo de imposto sobre lucros extraordinários das empresas

Luís Montenegro afirmou que, neste caso, “o Governo vem a reboque daquilo que é a posição do PSD”.

O presidente do PSD congratulou-se hoje com a eventual decisão do Governo de recusar um imposto sobre os lucros extraordinários das empresas, embora considerando que vem “uma vez mais a reboque” dos sociais-democratas.

“Só posso congratular-me com isso e dizer ao primeiro-ministro que está no bom sentido porque criar novos impostos nesta altura era um sinal absolutamente errado que nós vamos dar aos investidores, aqueles que queremos que possam trazer para Portugal o seu capital e o seu risco para poderem apostar na nossa capacidade produtiva”, afirmou Luís Montenegro aos jornalistas, durante uma visita à AgroSemana — Feira Agrícola do Norte, na Póvoa de Varzim, no distrito do Porto.

O líder social-democrata alegou, porém, que também neste caso “o Governo vem a reboque daquilo que é a posição do PSD”.

O presidente social-democrata reagia a uma notícia do jornal Público segundo a qual o Governo recusa avançar com um imposto sobre lucros extraordinários das empresas.

Luís Montenegro salientou que o PSD apresentou um programa de emergência social e o Governo “veio a reboque”, entendeu que o IVA da eletricidade, do gás e dos combustíveis deve baixar para a taxa mínima e, aparentemente, o Governo “virá a reboque” e no caso da criação de um novo imposto sobre lucros também “veio a reboque”.

O social-democrata disse esperar que, de futuro, o Governo possa ter uma capacidade de iniciativa “mais célere” e que não seja preciso estar à espera do principal partido da oposição para decidir.

Recomendadas

MAI diz que bombeiros vão cumprir apesar de discordarem de nova estrutura da proteção civil

Na reunião extraordinária do conselho nacional da LBP, foi aprovada a criação de zonas e sectores operacionais de bombeiros, prevendo-se que as federações, no prazo de 15 dias, apresentem ao conselho executivo da Liga uma proposta de metodologia de organização das zonas e dos sectores operacionais.

Vitor Ramalho confessa ter deixado o PS em 2012 em rutura com António Seguro

O ex-dirigente socialista lembra que a disponibilidade manifestada por António Costa para se candidatar a secretário-geral do PS só aconteceu depois, em 2014, após as eleições para o Parlamento Europeu.

Aeroporto: Jerónimo de Sousa acusa PS e PSD de adiarem decisão de localização

“PS e PSD estão a tentar entender-se para um novo adiamento da construção do novo aeroporto”, afirmou Jerónimo de Sousa aos jornalistas, à margem de uma visita a uma exploração agrícola na Lourinhã, no distrito de Lisboa.
Comentários