PSD considera garantia de depósitos a nível europeu é “fundamental para completar União Bancária”

A bancada social-democrata defende que sem esta garantia os mercados financeiros vão continuar fragmentados e não vai ser possível garantir a todos os cidadãos o mesmo nível de confiança no setor financeiro.

O Partido Social Democrata (PSD) considera que é um dos elementos essenciais para a concretização da União Bancária é garantir depósitos a nível europeu. A bancada social-democrata defende que sem esta garantia os mercados financeiros vão continuar fragmentados e não vai ser possível garantir a todos os cidadãos o mesmo nível de confiança no setor financeiro.

No debate da proposta de lei do Governo que consagra a atribuição de um privilégio creditório à generalidade dos depósitos bancários em caso de insolvência e transpõe a diretiva europeia relativa à posição de determinados instrumentos de dívida na hierarquia de insolvência, a deputada social-democrata Inês Domingos considerou que, apesar de positivas, as medidas são ainda insuficientes para fazer face a uma situação de emergência financeira.

“A nossa preocupação centra-se em particular na garantia de depósitos europeia. Uma garantia de depósitos a nível Europeu, é, na nossa opinião, uma peça fundamental que está em falta para completar a União Bancária e reformar a União Económica Monetária”, afirmou a deputada.

Inês Domingos defendeu que “sem garantia de depósitos comum os mercados financeiros continuarão fragmentados e não é possível garantir a todos os cidadãos da União Europeia o mesmo nível de confiança no setor financeiro, em caso de choque”. O PSD considera que esta situação é “lamentável”, tendo em conta que “as restantes peças da União Bancária já foram implementadas, o que implica que a decisão de uma resolução de uma instituição financeira pode já não estar na mão dos Estados-membros, mas as consequências de uma resolução, essas sim, ficam no Estado-membro”.

A deputada do PSD relembrou ainda que “a confiança das famílias na resiliência do sistema financeiro é crucial para o bom funcionamento da economia”. “Durante a crise financeira a União Europeia desenvolveu uma série de instrumentos para serviram para reforçar essa confiança, obrigando o setor financeiro a reforçar os capitais próprios e a criar instrumentos financeiros capazes de absorver perdas e assegurando a segurança dos depósitos, para evitar as situações de corrida aos bancos”, sublinhou.

Apesar de ter sido mencionada no Eurogrupo, o PSD diz que “esta reforma fundamental voltou a ser empurrada com a barriga no último Conselho [Europeu]”. “Por isso, pedimos ao Governo que seja muito mais ativo na defesa de um mecanismo comum de garantia de depósitos para toda a União Europeia”, reiterou Inês Domingos.

Recomendadas

BE quer que beneficiários de bolsa de estudo do Ensino Superior recebam um complemento extraordinário

O BE quer que os estudantes que recebem apoios obtenham um complemento extraordinário no valor anual de 50% do valor do indexante dos apoios sociais.

Governo “condena a anexação pela Rússia dos territórios ucranianos”

Para o Governo a anexação dos territórios ucranianos à Rússia “constitui mais uma violação grosseira do Direito Internacional e dos princípios consagrados na Carta das Nações Unidas”.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.
Comentários