PSD diz que orçamento do Funchal não privilegia os interesses dos munícipes

O vereador do PSD, Jorge Vale, não compreende, tendo em conta um orçamento de 100 milhões de euros, como se recusa a devolução de um maior valor de IRS ou até mesmo a extinção da derrama.

A vereação do PSD na Câmara Municipal do Funchal absteve-se no orçamento do município para 2018 referindo-se ao documento como sendo egoísta e não privilegiando os munícipes.

O vereador do PSD na Câmara do Funchal, Jorge Vale, diz que o orçamento da autarquia tem uma elevada cobrança de impostos e uma previsão de maior volume de transferências directas.

Tendo em conta o aumento de receitas esperado pela autarquia Jorge Vale não compreende como se recusa a devolução de um maior valor de IRS aos munícipes ou até mesmo a extinção da derrama.

Jorge Vale esclarece que estes valores são “residuais” para a autarquia, tendo em conta o orçamento de 100 milhões de euros, mas que poderia beneficiar tanto as empresas como as famílias.

O vereador do PSD abordou ainda a reabilitação urbana sobre a qual diz “pouco ou nada ter sido feito” pela autarquia dando como exemplo a recuperação da Confeitaria Felizberta que foi prometida mas em que nada aconteceu.

Recomendadas

Madeira: Investigadores defendem potencialidades do mar no desenvolvimento económico

O vice-presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Victor Freitas, destacou a importância do mar para o país, em particular para a Região, “que tem já muito trabalho desenvolvido”, apesar de a Secretaria do Mar só ter surgido neste último governo.

Madeira promove conferências sobre património cultural imaterial da região

A primeira conferência dará mote ao tema “Património Cultural Imaterial: Conceitos, Domínios e Inventário”. A segunda conferência é intitulada “Ter começado é meio caminho andado”, e aborda o papel da Secretaria Regional de Turismo na preservação deste património.

Funchal já aprovou 160 mil euros dos apoios municipais “Alavancar” e “Re-Abrir”

No total, são 500 mil euros disponíveis, a fundo perdido, dos quais 32% estão aprovados.
Comentários