PSD e CDS-PP entregam requerimentos para que plano de reestruturação da TAP seja enviado ao Parlamento

Os social-democratas e os democratas-cristãos dizem que aos partidos foram apresentadas “oralmente” apenas “algumas linhas” do plano de reestruturação da TAP e que é “fundamental” e “urgente” conhecer o documento final.

TAP Portugal

O PSD e o CDS-PP apresentaram esta terça-feira requerimentos ao Governo para que o plano de restruturação da companhia aérea TAP enviado a Bruxelas seja entregue no Parlamento. Os social-democratas e os democratas-cristãos dizem que aos partidos foram apresentadas “oralmente” apenas “algumas linhas” do plano de reestruturação da TAP e que é “fundamental” e “urgente” conhecer o documento final.

Num requerimento entregue na Assembleia da República, o PSD defende que é “imprescindível que o Parlamento não fique privado dos seus mecanismos de acompanhamento e fiscalização” na TAP. Considera ainda “inacreditável” que o Governo “se permita a ousadia de se dirigir aos deputados numa audição sobre o plano sem dar a conhecer à Assembleia mais do que ‘slides’ que foram apresentadas nas reuniões dos grupos parlamentares”.

Também o CDS-PP dá conta de que teve “apenas” uma reunião com o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, onde foram “apresentadas oralmente algumas linhas do plano de reestruturação da TAP”, após a Comissão Europeia ter dado ‘luz verde’ a um empréstimo de 1,2 mil milhões de euros do Estado português à empresa, com a condição de que esta fosse reestruturada.

O CDS-PP diz que tem sido através da comunicação social que tem vindo a ter conhecimento das “necessidades de injeção de capital nos próximos anos, negociações, cortes salariais e despedimentos, definição de rotas e frotas, prejuízos e eventuais retomas” e lamenta que, ao contrário do que foi anunciado por Pedro Nuno Santos, o plano de reestruturação não tenha sido discutido no Parlamento antes de ser entregue a Bruxelas.

A hipótese de o plano de reestruturação da TAP ser discutido no Parlamento foi, segundo o PSD e CDS-PP, comunicada pelo próprio ministro das Infraestruturas e da Habitação, durante a discussão dos apoios à aviação, numa reunião da comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação realizada em outubro.

Os dois partidos consideram, por isso, que é “fundamental e urgente conhecer o documento final” do plano de reestruturação da TAP, que foi delineado pelo Governo em conjunto com a TAP e com a assessoria da consultora BCG e que foi apresentado a Bruxelas.

O plano de reestruturação da TAP entregue em Bruxelas prevê o despedimento de 500 pilotos, 750 tripulantes de cabine, 450 trabalhadores da manutenção e engenharia e 250 das restantes áreas. Está ainda prevista a redução de 25% da massa salarial da empresa e o corte no número de aviões que compõem a frota (de 108 para 88 aviões).

Relacionadas
João Gonçalves Pereira

TAP. CDS ameaça recorrer à comissão de acesso a documentos para Parlamento ter acesso a plano de reestruturação

Pedro Nuno Santos não quer entregar o plano porque faz um “strip tease” da TAP, contendo informação sensível, mas CDS ameaça recorrer à CADA para o Parlamento obter o documento.

TAP. Ministro diz que salário dos tripulantes é entre 2% a 90% mais alto face aos pagos na Air France, British Airways ou Iberia

Pedro Nuno Santos apontou que a TAP tem mais 19,5% de pilotos e 28% de tripulantes face a duas das suas principais concorrentes: Iberia e Air Europa.

Governo diz que TAP deve continuar a ser “líder na ligação da Europa ao Brasil” e manter crescimento para os Estados Unidos

O ministro das Infraestruturas voltou a defender a aposta na Portugália e no reforço da sua frota, cujos aviões são mais pequenos face aos da TAP.
TAP Portugal

TAP. PSD critica Governo por não entregar plano de reestruturação no Parlamento

O deputado Cristóvão Norte criticou hoje Pedro Nuno Santos por não revelar o documento aos deputados da comissão de economia. Em resposta, o ministro disse que o plano contém “matéria da máxima sensibilidade para a TAP e para todos os seus concorrentes”.
Recomendadas

Inflação pode retirar competitividade às empresas portuguesas

Responsável da Fundação AIP considera que os custos nos transportes, aliados ao atual quadro político poderá levar a que esta não seja a melhor altura para o sector empresarial se expandir para os mercados mais longínquos. Investir na vertente digital é outro dos desafios.

PRR, mesmo sem inflação, sofreria dos mesmos problemas

Execução da bazuca enfrentaria dificuldades com burocracia e mudanças na economia global, reforçando papel dos contabilistas.

Tecnologia torna “obsoletos” problemas dos contabilistas

No último ano, as empresas tecnológicas têm investido em soluções mais inovadoras para os gabinetes de contabilidade. A PHC Software e a Sage são exemplos, com novos ‘add-ons’ ou arquivos digitais.
Comentários