PSD escolhe Ricardo Baptista Leite e Sofia Matos para cabeças de lista em Lisboa e no Porto

Apoiantes de Paulo Rangel nas eleições diretas para a liderança social-democrata são relegados da liderança das listas. Rui Rio volta a não ser cabeça de lista por nenhum círculo e afasta críticos como Margarida Balseiro Lopes ou Cristóvão Norte.

Flickr/PSD

O deputado e vereador da Câmara de Sintra Ricardo Baptista Leite será o cabeça de lista do PSD pelo círculo de Lisboa nas legislativas de 30 de janeiro de 2022, enquanto a lista do Porto terá à frente Sofia Matos, que foi a candidata derrotada pelo rangelista Alexandre Poço à presidência da Juventude Social Democrata.

As escolhas de Rui Rio foram anunciadas nesta terça-feira, horas antes da reunião da Comissão Política Nacional do PSD em que serão aprovadas as listas integrais de deputados e discutida a possibilidade de uma coligação pré-eleitoral com o CDS-PP e o PPM. Segue-se o Conselho Nacional, que está agendado para começar às 21h00 num hotel de Évora.

Tal como sucedeu nas legislativas de 2019, quando foi o número 2 da lista do Porto, Rui Rio não será cabeça de lista por nenhum círculo.

Entre os principais círculos repete-se a candidatura do vice-presidente André Coelho Lima por Braga e de Nuno Carvalho por Setúbal, mas em Aveiro será o professor universitário António Topa Gomes a ocupar o lugar de Ana Miguel dos Santos.

Mais a norte, o atual líder parlamentar Adão Silva permanece cabeça de lista por Bragança, tal como Jorge Mendes ocupa o mesmo lugar em Viana do Castelo, enquanto Artur Soveral de Andrade substituiu o rangelista Luís Leite Ramos em Vila Real e o atual presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, é substituído por Hugo Carvalho em Viseu, dois anos depois de o ex-presidente do Conselho Nacional de Juventude ter sido a surpreendente escolha de Rio para cabeça de lista pelo Porto. E também na Guarda há mudanças, com António Peixoto a ceder o primeiro lugar a Gustavo Duarte.

Entre os próximos de Rio, Mónica Quintela continua a ser a cabeça de lista por Coimbra, devendo enfrentar a ministra da Saúde Marta Temido, tal como Cláudia André permanece em Castelo Branco, e a vice-presidente Isaura Morais continua a ser a primeira candidata por Santarém – onde deverá ocorrer a exclusão dos críticos da atual liderança social-democrata João Moura e Duarte Marques. E o mesmo sucede em Leiria, onde Margarida Balseiro Lopes é substituída por Paulo Mota Pinto, atual presidente do Congresso.

Com Lisboa entregue a Ricardo Baptista Leite, especialista em questões de saúde que ganhou protagonismo com a pandemia de Covid-19 e que em 2019 fora o oitavo de uma lista encabeçada pela atual vereadora da Câmara de Lisboa Filipa Roseta, e Setúbal com Nuno Carvalho, que foi mandatário distrital de Rui Rio na campanha para as eleições diretas, no círculo de Portalegre, o presidente da JSD local, João Pedro Luís, tenta contrariar a tendência para concentração de mandatos no PS. E enquanto em Évora e Beja, que também não elegeram deputados em 2019, não há mudanças (com Sónia Ramos e Henrique Silvestre a tentarem melhor resultado desta vez), em Faro confirma-se que o muito crítico Cristóvão Norte cede a liderança da lista a Luís Gomes, antigo presidente da Câmara de Vila Real de Santo António.

Pela Madeira o cabeça de lista será Sérgio Marques – em 2019 só não o foi porque o presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, detinha formalmente essa posição – e nos Açores permanece Paulo Moniz, com renovação total nos círculos da Emigração: pela Europa Carlos Alberto Gonçalves cede o lugar a Maria Ester Vargas e por Fora da Europa Maló de Abreu fica no lugar de José Cesário.

Recomendadas

Ministro da Saúde inicia processo de dissolução de consultora

Manuel Pizarro já iniciou o processo de dissolução da Manuel Pizarro-Consultoria e reconhece incompatibilidade.

OE2023: Conselho de Ministros extraordinário discute documento na terça-feira

O Governo discute em Conselho de Ministros extraordinário na terça-feira a proposta de Orçamento do Estado para 2023, numa reunião que marca o começo do processo de aprovação do documento, que é entregue ao parlamento na segunda-feira.

Governo avisa federação russa em Portugal: “UE adotará medidas restritivas adicionais” devido a anexação de regiões ucranianas

O Ministério dos Negócios Estrangeiros garante que a UE “continuará a apoiar a integridade territorial e a soberania da Ucrânia”, posição que demonstrou, esta segunda-feira, durante reunião com o embaixador da Federação Russa.
Comentários