PSD-Madeira diz que Governo Regional está empenhado em baixar a carga fiscal não obstante adversidades

Jaime Filipe Ramos acusou ainda o Governo Central de, contrariamente, não baixar os impostos, afirmando que a esquerda, liderada pelo PS, impõe uma enorme carga fiscal aos portugueses.

O líder da bancada parlamentar do PSD, Jaime Filipe Ramos, destacou a resiliência do Executivo Regional em baixar os impostos às famílias da região, não obstante todas as adversidades económicas causadas pela pandemia.

O deputado especificou que as despesas da pandemia têm um custo previsto de 560 milhões de euros, mas ainda assim houve uma redução de impostos neste orçamento para 2022, sendo este o sétimo orçamento consecutivo a baixar os impostos aos madeirenses. “Desde 2015, o Governo Regional tem vindo a desagravar a taxa fiscal dos madeirenses em 180 milhões”, afirmou.

Jaime Filipe Ramos acusou ainda o Governo Central de, contrariamente, não baixar os impostos, afirmando que a esquerda, liderada pelo PS, impõe uma enorme carga fiscal aos portugueses.

O Secretário Regional das Finanças, Rogério Gouveia, acrescentou que o Governo Regional é o único no país que tem feito um “esforço” no desagravamento fiscal, reduzindo a carga fiscal às famílias e empresas, não obstante a “falta de solidariedade” do Estado para com as necessidades da região.

Recomendadas

Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos da Região cresceu cerca de 40% face a 2019

No aeroporto da Madeira, e no mês em análise, o tráfego de passageiros distribuiu-se equitativamente entre o tráfego doméstico (47,4% do total) e o tráfego internacional (52,6%).

Funchal: Aldeia de Natal abre a 9 de dezembro com regresso do comboio e prolongamento do horário de funcionamento

Outro aspeto destacado por Cristina Pedra foi a renovação do design e imagem da Aldeia de Natal e que inclui uma árvore de Natal de nove metros, bem como diversos pinheiros naturais, que  quando acabar o evento voltarão ao Parque Ecológico do Funchal.

Madeira: Aprovado relatório da Comissão de Inquérito à linha de crédito INVEST-RAM

O relatório mereceu os votos favoráveis PSD e do CDS-PP, os votos contra do PS, partido proponente do inquérito, e a abstenção do PCP.
Comentários