PSD: Montenegro diz que partido vai “reencontrar-se com os portugueses”

O candidato à liderança do PSD Luís Montenegro disse que o partido vai “reencontrar-se com os portugueses” e sair “mais unido” das eleições de hoje, apontando ainda ao eleitorado desiludido com o PS, à direita e aos abstencionistas.

Cristina Bernardo

O candidato à liderança do PSD Luís Montenegro disse que o partido vai “reencontrar-se com os portugueses” e sair “mais unido” das eleições de hoje, apontando ainda ao eleitorado desiludido com o PS, à direita e aos abstencionistas.

“O PSD vai sair mais coeso, mais unido destas eleições e vai conseguir reencontrar-se com os portugueses, reconquistando a confiança deles ao longo dos próximos anos”, disse este sábado aos jornalistas o antigo líder parlamentar do partido.

Luís Montenegro votou hoje às 16h08 na Junta de Freguesia de Espinho, naquele concelho homónimo do distrito de Aveiro, onde é residente.

Questionado sobre a inexistência de debates entre os candidatos, Montenegro considerou que a campanha que o opôs ao ex-ministro do Ambiente Jorge Moreira da Silva “decorreu com elevação, com a tranquilidade necessária”.

“O nosso adversário neste momento é o Partido Socialista, que governa Portugal há seis anos e que infelizmente tem transportado o país para uma fase em empobrecimento”, considerou.

Caso vença, Luís Montenegro prometeu “um PSD diferente, e numa nova fase, no início de uma legislatura que é uma legislatura de maioria absoluta, onde podemos programar as coisas para quatro anos”.

Sobre se estará disponível para uma coligação com o Chega nas próximas legislativas, previsivelmente em 2026, Luís Montenegro respondeu estar disponível “para fazer do PSD um partido vencedor e maioritário em Portugal”, em caso de vitória nas eleições de sábado.

“O PSD liderado por mim vai tentar atrair para a nossa base de apoio pessoas que se abstiveram nas últimas eleições, pessoas que votaram no Partido Socialista e que, entretanto, se dececionaram, desiludiram e frustraram”, adiantou, referindo ainda as pessoas que votaram à direita do PSD.

O candidato, que não é deputado, garantiu ainda que caso seja eleito líder estará no parlamento “muitas vezes”, sendo que estar fora da Assembleia da República (AR) lhe vai permitir “que ande muito pelo país”, disse.

O antigo líder parlamentar do PSD Luís Montenegro e o antigo vice-presidente Jorge Moreira da Silva disputam este sábado, dia 28 de maio, a presidência do partido em eleições diretas em que podem votar mais de 44 mil militantes.

De acordo com o site do PSD, o universo eleitoral para as 11.ªs eleições diretas do partido ronda os 44.300 militantes, aqueles que têm as quotas em dia para poder votar e que irão escolher o 19.º presidente do partido.

A eleição decorre em todo o país entre as 14h00 e as 20h00 e, a partir do fecho das urnas, a secretaria-geral do PSD irá disponibilizar a evolução dos resultados das eleições em tempo real no site https://resultados.psd.pt, assim como o histórico das eleições anteriores.

Recomendadas

Nuno Melo apela a António Costa que devolva receitas fiscais à sociedade e pede PR interventivo

O presidente do CDS-PP apelou hoje ao primeiro-ministro para que devolva à sociedade parte dos “rendimentos imprevistos e extraordinários” que o Estado tem arrecadado, após uma audiência com o Presidente da República, de quem defendeu uma “intervenção mais ativa”.

Chumbada moção de censura do Chega ao Governo

A moção do Chega foi rejeitada com votos contra do PS, PCP, BE,PAN e Livre e abstenções do PSD e Iniciativa Liberal.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.
Comentários