PSD não alinha “em ocultações, opacidade e encenações”

Pedro Passos Coelho afirmou hoje na sua mensagem de Natal que está preocupado, mas que agora é tempo de “tréguas” e de “recarregar baterias”.

Rafael Marchante/Reuters

Pedro Passos Coelho afirmou hoje na sua mensagem de Natal que o PSD não alinha em encenações, mas salientou que agora é tempo de “trégua” e de “recarregar energias” para depois enfrentar a realidade.

“Não escondemos que temos preocupações e por isso entendemos que um país prevenido se defende melhor perante contingências da situação internacional”, lê-se na mensagem de Natal do presidente do PSD divulgada hoje, na qual refere ainda que o partido não alinha “em ocultações, opacidade e encenações”.

O ex-primeiro ministro realçou que, sendo este um tempo dedicado à família, “é também um tempo de trégua quanto a preocupações”, pelo que se devem viver estes dias “em espírito de união familiar, com alegria”, com o objetivo de “recarregar energias para quando se tiver de retomar a realidade”.

Pedro Passos Coelho observou que, estando no Governo ou na oposição, o PSD “preserva os valores de sempre” e mantém “o mesmo sentido de responsabilidade em relação aos interesses do país”, razão pela qual nunca deixará de dizer “o que tiver de ser dito para bem” de Portugal.

“Queremos o melhor para os portugueses e por isso (…) lutamos para corresponder às suas necessidades, anseios, ambições”, sublinhou, observando que, sempre que necessário, emitirão “críticas e alertas”, mas também “propostas para soluções positivas”.

Para o presidente do PSD, uma sociedade civil forte é “a melhor resposta às conjunturas políticas em períodos de incerteza”, pelo que só promovendo a união entre as pessoas se poderão enfrentar “os desafios” da atualidade.

“Está sempre nas nossas mãos lutar por aquilo que queremos no nosso futuro, mesmo quando temos de prescindir de alguma coisa no presente para alargar os horizontes no futuro”, considerou.

No entanto, acrescentou, “devemos também ser realistas” relativamente ao que a sociedade pode oferecer para satisfazer “as exigências do progresso que desejamos para o nosso país”.

Recomendadas

MAI diz que bombeiros vão cumprir apesar de discordarem de nova estrutura da proteção civil

Na reunião extraordinária do conselho nacional da LBP, foi aprovada a criação de zonas e sectores operacionais de bombeiros, prevendo-se que as federações, no prazo de 15 dias, apresentem ao conselho executivo da Liga uma proposta de metodologia de organização das zonas e dos sectores operacionais.

Vitor Ramalho confessa ter deixado o PS em 2012 em rutura com António Seguro

O ex-dirigente socialista lembra que a disponibilidade manifestada por António Costa para se candidatar a secretário-geral do PS só aconteceu depois, em 2014, após as eleições para o Parlamento Europeu.

Aeroporto: Jerónimo de Sousa acusa PS e PSD de adiarem decisão de localização

“PS e PSD estão a tentar entender-se para um novo adiamento da construção do novo aeroporto”, afirmou Jerónimo de Sousa aos jornalistas, à margem de uma visita a uma exploração agrícola na Lourinhã, no distrito de Lisboa.
Comentários