PSD não foi convidado para o 1º de dezembro

O dia da Restauração da Independência foi um dos feriados repostos pelo Governo de António Costa.

O grupo parlamentar social-democrata não foi convidado para marcar presença na cerimónia de comemoração do 1º de Dezembro, um dos feriados repostos pelo Governo de António Costa, segundo avança o líder parlamentar do PSD.

“Não fomos convidados. O grupo parlamentar do PSD não recebeu nenhum convite”, afirma Luís Montenegro.

O líder da bancada social-democrata salienta que nos dias que correm é fácil criticar a suspensão de feriados levada a cabo pelo Governo PSD/CDS-PP, “difícil era tomar opções em 2012”.

Luís Montenegro explica que “fizemos isto porque fomos obrigados por um Memorando de Entendimento, assinado pelo Partido Socialista e que o PSD e o CDS/PP, quando foram para o Governo, se comprometeram a cumprir”.

O deputado sublinha que o Governo de António Costa apenas antecipou um ano na reposição de feriados que estava prevista pela coligação e que se o país tem hoje condições para que isso seja possível “foi porque alguém fez o percurso de recuperação”.

“Andamos de cara levantada na rua porque sabemos que fizemos o que o país precisava. Todos, incluindo o Presidente da República, para ser mais direto, deviam saber que em 2012 as opções que tomámos não foram de ânimo leve, nem essa”, conclui.

Recomendadas

Luís Menezes Leitão formaliza recandidatura a bastonário da Ordem dos Advogados

O atual bastonário da Ordem dos Advogados, Luis Menezes Leitão, anunciou que formalizou esta terça-feira em Lisboa a sua recandidatura ao cargo para o triénio 2023-2025.

Censura do Chega a Santos Silva “padece de inconformidade constitucional e regimental”

A iniciativa do Chega que pretende censurar o comportamento do presidente do parlamento, Augusto Santos Silva, “padece de inconformidade constitucional e regimental”, não tendo condições para ser admitida, defende um parecer elaborado pela deputada única do PAN.
Carlos Moedas

Um ano de Carlos Moedas. Oposição lança críticas à liderança do autarca da Câmara de Lisboa

No geral, PS, PCP e BE fazem uma avaliação negativa da liderança do presidente da Câmara Municipal de Lisboa e todos os partidos falam em retrocessos ou más decisões, especialmente no que toca à habitação.
Comentários