PSD quer alargar rede de lugares de creche e gratuitidade da frequência

Para o PSD as limitações registadas “podem e devem ser ultrapassadas por políticas públicas favoráveis ao crescimento da natalidade, ao rendimento das famílias, à conciliação e equidade de género, bem como pelo aumento das vagas gratuitas nas creches”.

Cristina Bernardo

O Partido Social Democrata (PSD) deu entrada, esta segunda-feira, no Parlamento um projeto-lei que pretende o alargamento da rede de lugares de creche e gratuitidade da frequência das mesmas.

No documento, os sociais democratas reconhecem a “dificuldade das famílias em encontrar vagas disponíveis em creches para as suas crianças, a que acresce o elevado custo das existentes com grande peso nos orçamentos familiares, tão mais evidente nestes tempos de inflação crescente e de perda de rendimento e de poder de compra”.

Para o PSD, as limitações registadas “podem e devem ser ultrapassadas por políticas públicas favoráveis ao crescimento da natalidade, ao rendimento das famílias, à conciliação e equidade de género, bem como pelo aumento das vagas gratuitas nas creches”.

“A rede de creches atualmente existente não chega para acolher todas as crianças em idade de as frequentar, com prejuízo do seu desenvolvimento e com acrescidas dificuldades para o seu acompanhamento pelas famílias”, considera o partido liderado por Luís Montenegro.

Além do PSD, em agosto, o Chega deu também entrada de um projeto de resolução onde recomendava o alargamento da gratuitidade nas creches, recorrendo ao sector privado quando necessário.

“A questão torna-se ainda mais relevante tendo em conta que apenas são conhecidos os dados relativos às taxas de cobertura de creches de 2020 e já nessa altura os números eram preocupantes: Porto, Lisboa e Setúbal apresentavam as taxas de cobertura mais baixas do país – 35%, 44% e 45%, respetivamente. Não havendo números relativos ao ano passado, tal significa que, a manterem-se os valores de 2020, as famílias de mais de metade das crianças não terão acesso às creches gratuitas”, apontou o partido no projeto.

Desde 1 de setembro que entrou em vigor a gratuitidade das creches para todas as crianças nascidas a partir de 1 de setembro de 2021 (inclusive) que frequentem creches do setor social e solidário (independentemente da sala que venham a frequentar).

De acordo com informação do Governo, a gratuitidade das creches será implementada de forma faseada, aumentando anualmente mais um ano de creche abrangido, até à globalidade das crianças da rede social e solidária. O objetivo é chegar a 100 mil crianças no final da implementação da medida (2024)

Relacionadas

Creches: como escolher a melhor opção?

Encontrar a creche perfeita é uma das principais preocupações dos pais, e uma decisão que merece alguma consideração. Sabia como escolher a opção certa.

Respostas Rápidas: é assim que funcionam as creches gratuitas a partir de hoje

A gratuitidade das creches do sector social e solidário arranca esta quinta-feira, dia 1 de setembro. Mas, afinal, que crianças estão abrangidas e o que paga a Segurança Social? O Jornal Económico responde.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Governo apresenta quarta-feira traçado de alta velocidade Lisboa, Porto, Vigo

O primeiro-ministro anunciou hoje que na quarta-feira, no Porto, o Governo vai apresentar o traçado e desenvolvimento da linha ferroviária de alta velocidade Lisboa, Porto e Vigo, representando o primeiro passo para a inserção na rede ibérica.

Aeroporto. Costa elogia PSD mas avisa que usa a maioria do PS se no final não houver acordo

O primeiro-ministro considerou hoje que o PSD demonstra vontade efetiva de chegar a um acordo sobre o novo aeroporto de Lisboa, mas avisou que usará a maioria PS se no final do processo estabelecido se verificarem divergências.
Comentários