PSD quer obrigar Governo a tornar público o acordo com gestores da CGD

O líder parlamentar, Luís Montenegro, anunciou esta sexta-feira a apresentação de dois requerimentos para apurar a verdade sobre existência de um documento escrito, avança a SIC Notícias.

O PSD quer obrigar o Governo a tornar púbico o acordo que terá subscrito com a nova administração da Caixa Geral de Depósitos.

O líder parlamentar, Luís Montenegro, anunciou esta sexta-feira  a apresentação de dois requerimentos para apurar a verdade sobre existência de um documento escrito, avança a SIC Notícias.

O líder da bancada do PSD falava de declarações do comentador António Lobo Xavier, que na quinta-feira à noite no programa “Quadratura do Círculo” – na SIC Notícias – declarou haver um compromisso por escrito entre o Governo e António Domingues, presidente da Caixa, que incluía a não apresentação das declarações de património e rendimentos dos administradores da Caixa, motivo de polémica nas últimas semanas.

O comentador que conhece António Domingues porque ambos partilharam o Conselho de Administração do BPI disse que houve um compromisso (escrito) entre António Domingues e o Governo que passava pela exclusão dos deveres de apresentar o património dos administradores ao Tribunal Constitucional, para além da questão dos limites salariais.

“Eu não vou em peças de teatro, até porque eu conheço o guião”, disse Lobo Xavier na Quadratura do Círculo. “Isto noutras condições políticas era impossível de passar-se”, disse o advogado que é também administrador do BPI e como tal conhece bem António Domingues. “O Governo está a deixar passar – com uma enorme falta de solidariedade, com uma frieza chocante e próximo da indignidade – o odioso para os gestores da CGD das coisas que combinou com eles”.

“As pessoas estavam em belíssimos lugares e foram desafiados a sair para tratar da CGD. Puseram as suas condições como acontece sempre e foi-lhes prometido (aceite) e até escrito. Os compromissos estão escritos portanto não se pode dizer que o primeiro-ministro não sabia e que só sabia o ministro das Finanças. Os governos não funcionam assim. Os compromissos eram do conhecimento de todos. Acharam é que bastava alterar o estatuto do gestor público para resolver os problemas todos que foram colocados (quer os salários, quer as declarações)”, denunciou António Lobo Xavier. O comentador acrescentou que quando o problema veio para a praça pública (através de Marques Mendes e depois pelo PSD) “o governo desresponsabilizou-se”.

Relacionadas

“Existe acordo por escrito com presidente da CGD?” PSD desafia Governo

“Se esse compromisso existe, exigimos que seja mostrado ao parlamento, aos deputados, e por via destes aos portugueses”, disse Luís Montenegro sobre a polémica da CGD.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Portugal reforça cuidados em embaixadas após cartas armadilhadas em Espanha

“Estamos a dar indicações às nossas embaixadas para terem atenção redobrada a encomendas ou correio que recebam”, disse, em declarações à agência Lusa, João Gomes Cravinho, a partir de Lodz (Polónia), garantindo que as missões portuguesas no exterior “estão atentas, em função do que aconteceu em Espanha nos últimos dias”.

Alteradas quatro declarações modelo usadas na entrega do IRS

As mudanças hoje publicadas vigoram a partir de 1 de janeiro e são justificadas com as alterações ao Estatuto da Ordem dos Contabilistas Certificados, relativo ao justo impedimento de curta duração, mas quanto à declaração anual de rendas (modelo 44) é também introduzida a obrigação de entrega exclusivamente por transmissão eletrónica de dados, a partir de 2023.
Comentários