PSD “totalmente disponível” para “acertar e concertar” com PS revisão constitucional

O presidente do PSD disse hoje estar “totalmente disponível” para “acertar e concertar” com o PS a viabilização de “algumas” alterações à Constituição, depois de terminar o prazo para apresentação de projetos, na sexta-feira.

“Depois das propostas serem conhecidas a nossa disponibilidade é total para poder interagir com todos os partidos, em particular com o PS que é aquele que detém, efetivamente, a possibilidade de viabilização das alterações à Constituição”, afirmou Luís Montenegro no final da visita que hoje dedicou ao concelho de Caminha, no distrito de Viana do Castelo, no âmbito da iniciativa Sentir Portugal.

O líder do PSD disse não estar agendado nenhum encontro com o secretário-geral do PS para discutir o assunto, e que vai esperar pela proposta do PS “para dialogar com todos os partidos sobre alterações que sejam positivos para a nossa lei fundamental”.

“Sendo certo que, obviamente, a palavra mais importante será a do PS porque há coisas que são matemática pura. Só é possível fazer uma alteração da Constituição com a aprovação de dois terços dos deputados em efetividade de funções e isso, necessariamente, impõe que os deputados do PS participem na aprovação das normas que estão em discussão”, referiu.

Recomendadas

“Orçamento da Saúde para o próximo ano poderá não ser suficiente”, alerta Correia de Campos

O antigo presidente do Conselho Económico e Social destaca o aumento de 2,7% do orçamento para a Saúde para 2023 mas adverte que o mesmo não vai ser suficiente tendo em conta que não acompanha “nem a inflação, nem a manutenção do equipamento, nem o reforço salarial necessário”

Ricardo Leão: “Falta, acima de tudo, comunicação e coordenação no Governo”. Ouça o podcast “Discurso Direto”

Discurso Direto é um podcast do Novo Semanário e do Jornal Económico onde todas as semanas são entrevistados os protagonistas da política, da economia, da cultura e do desporto. Ouça a entrevista a Ricardo Leão, presidente da Câmara Municipal de Loures eleito pelo PS.

Marcelo nega estar cansado da Presidência e diz que “seria mau” encurtar mandato em contexto de crise

“Não, não estou cansado da Presidência e, pelo contrário, é mais necessário mais Presidente num momento de mais crise, como é evidente”, defendeu Marcelo Rebelo de Sousa.
Comentários