PSI 20 com ganhos ligeiros numa Europa mista

A bolsa de Milão desvaloriza 0,20% no dia em que o governo italiano apresenta novo orçamento para 2019.

A bolsa portuguesa acordou em terreno positivo e recuperou os 5.000 pontos. Cerca de 20 minutos após o início das negociações desta terça-feira, dia 4 de dezembro, o principal índice português, PSI 20, somava 0,32%, para 5.005,23 pontos.

Na bolsa de Lisboa sobressaem as ações da NOS, que sobem 1,82%, e o setor energético. A EDP, a EDP Renováveis e a REN avançam 0,29%, 0,19% e 0,58%, respetivamente. A Galp Energia recua 0,13%. A alavancar o índice estão títulos como os da Jerónimo Martins (+0,945) e dos CTT (+0,23%).

“Um dos temas deste ano da bolsa nacional tem sido a notável underperformance da Jerónimo Martins, um padrão que frequentemente temos vindo a analisar e descrever. Ontem tínhamos adiantado que a subida da bolsa nacional deveria ser encabeçada pelos títulos que anteriormente tinham sido mais penalizados”, referem os analistas no CaixaBank/BPI Research, no Diário de Bolsa desta manhã.

A Europa negoceia mista, seguindo o exemplo do fecho do mercado asiático (Nikkei -2,32%; China A50 -0,02%; Shanghai +0,42%; Hang Seng -0,01%; Kospi -0,82%), que ainda reage à tentativa de consenso para evitar uma guerra comercial entre as duas maiores economias mundiais. O índice alemão DAX recua 0,34%, o britânico FTSE 100 avança 2,15%, o francês CAC 40 valoriza 2,14%, o italiano FTSE MIB soma 2,17%, o espanhol IBEX 35 cresce 1,84% e o holandês AEX avança 1,99%. O Euro Stoxx soma 2,18%.

“As bolsas europeias arrancam em baixa, acompanhando a queda que se registou em algumas das principais praças asiáticas e o comportamento do mercado de futuros norte-americanos”, afirma Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp.

Numa nota de mercado, o analista lembra que “ontem, Donald Trump escreveu que a China tinha acordado em reduzir ou remover as tarifas sobre o setor automóvel, mas a falta de clarificação da Casa Branca sobre o assunto e o facto de a China não ter confirmado, deixa os investidores apreensivos sobre os acordos”.

O petróleo continua a subir. A cotação do barril de Brent avança 1,25%, para 62,46 dólares, enquanto a cotação do crude WTI sobe 1,34%, para 53,66 dólares por barril. Quanto ao mercado cambial, nota para a apreciação de 0,25% do euro face ao dólar (1,1383) e para a valorização de 1,34% da libra perante a divisa dos Estados Unidos (1,1383).

Relacionadas

Wall Street em alta animada com 90 dias de tréguas comerciais com a China

Bolsa em alta e petróleo também. O petróleo registou ganhos depois de alguns países exportadores de petróleo terem anunciado cortarem a produção diária de barris de petróleo para ajustar a oferta à procura.

Europa contagia PSI20. Bolsa nacional encerra no ‘verde’

Tréguas comerciais entre EUA e a China animaram as bolsas europeias. O português PSI20 fechou no ‘verde’ com uma valorização 1,52% para 4.989,02 pontos, tendo registado a segunda maior subida.
Recomendadas

Wall Street com mais um dia para esquecer

A perspectiva de manutenção das taxas de juro em alta pelos próximos (muitos) meses não dá tréguas aos investidores do mercado de capitais, que continuam a assistir ao afundamentos dos principais índices da praça norte-americana.

Bitcoin alcança valor mais alto em uma semana e ultrapassa os 20 mil dólares

A criptomoeda subiu 5% esta terça-feira, acompanhada pela Ethereum, que subiu 4%, num dia de subidas generalizadas entre as criptomoedas.

Bolsa de Lisboa fecha em terreno positivo com Europa no ‘vermelho’

As cotadas da família EDP foram as únicas a terminar o dia em terreno negativo, com a EDP a perder 1,28%, nos 4,55 euros, e a EDP Renováveis a cair 0,92% para os 21,43 euros.
Comentários