PSI-20 fecha em alta ajudado pela Galp e EDP. Europa fecha mista em dia de BCE

Em Lisboa, a subida da Galp e da EDP ajudaram o índice. As ações da Pharol foram as que mais subiram, depois da decisão do Tribunal de Santarém. A Europa fechou mista depois da conferência de imprensa do Banco Central Europeu sobre as conclusões de política monetária.

O PSI-20 encerrou a sessão desta quinta-feira com uma subida de 0,45% para 4.795,47 pontos em dia de política monetária do BCE. As ações da Pharol destacaram-se com uma subida de +8,03% para 0,1426 euros, um dia depois de o Tribunal da Concorrência manter a coima de um milhão de euros aplicada pela CMVM à Pharol, suspendendo-a na totalidade durante três anos.

Seguindo-se a Ibersol que subiu +3,10 para 5,32 euros. A Jerónimo Martins registou uma subida +1,67% para 14,62 euros; a Galp valorizou +1,62% para 9,31 euros; e a EDP avançou +1,62% para 4,76 euros.

Nas quedas o destaque vai para a Mota-Engil que deslizou -2,23% para 1,404 euros; o BCP caiu -1,63% para 0,1266 euros; a NOS caiu -1,48% para 3,20 euros; e os CTT recuaram -1,18% para 2,52 euros.

A Europa fechou mista depois da conferência de imprensa do BCE sobre as conclusões de política monetária. O EuroStoxx 50 caiu 0,19% para 3.522,31 pontos. O londrino FTSE 100 sobe 0,54% para 6.599,76 pontos; o CAC 40 subiu 0,05% para 5.549,65 pontos; o DAX perdeu 0,33% para 13.295,7 pontos; o FTSE MIB recuou 0,25% para 21.915,5 pontos e o IBEX caiu 0,64% para 8.182,3 pontos.

Esperava-se que o BCE anunciasse uma ampliação do programa de compra de ativos de emergência pandémica e alargue o prazo do mesmo até pelo menos ao final de 2021. O que acabou por se confirmar. O Conselho do Banco Central Europeu alargou esta quinta-feira o programa de compra de ativos por emergência pandémica (PEPP) em 500 mil milhões de euros. No total, o PEPP fica agora com 1.850 mil milhões, em mais uma tentativa de apoiar os Estados-membros perante a segunda vaga de infeções por Covid-19. Além disso, o programa foi alargado, pelo menos, até março de 2022. Christine Lagarde decidiu ainda que a fase de reinvestimento do PEPP vai prolongar-se, pelo menos, até ao final de 2023.

Pelo que a intervenção do BCE no mercado para baixar os custos de financiamento dos Estados membros vai manter-se durante a fase que se espera que seja já de distribuição e aplicação das vacinas contra a Covid-19.

“A travar um pouco o sentimento esteve a dificuldade de acordo comercial entre e o Reino Unido e a União Europeia, uma vez que o jantar de ontem entre o primeiro-ministro britânico Boris Johnson e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, não conseguiu solucionar o impasse. Os negociadores têm até domingo para chegarem a um entendimento”, realça o analista de mercados Ramiro Loureiro, do Millennium BCP. No mundo empresarial a Amadeus e a Adyen entraram para a lista das Top Tech Picks do Morgan Stanley.

O petróleo Brent, no mercado de Londres, sobe 3,58% para 50,61 dólares.

O euro valoriza 0,33% para 1,2121 dólares.

No mercado de dívida soberana, a dívida alemã valorizou 0,13 pontos base para -0,60% e a portuguesa está em terreno negativo, estando a cair 0,34 pontos base para -0,02%. Ao passo que a dívida espanhola subiu 0,19 pontos base para 0,02% e Itália tem os juros a 10 anos a caírem 2,02 pontos base para 0,56%.

O BCE comprou em 2020 mais dívida portuguesa do que o valor total das novas obrigações do Tesouro que o Estado emitiu este ano no seu Asset Purchase Programme. Comprou este ano 4,2 mil milhões de dívida portuguesa, a que acresce 14,8 mil milhões já comprados ao abrigo do programa de compra de emergência lançado pelo banco central.

Recomendadas

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta semana

Uma semana rica em dados da inflação na Europa, que os mercados analisarão com atenção na busca de sinais sobre a política monetária de médio-prazo do BCE, que tem vários responsáveis a discursar. Também nos EUA e Inglaterra os responsáveis pelos bancos centrais discursam na antecâmara da última reunião do ano.

PremiumBCE e Fed avaliam peso da subida de juros e ritmo pode abrandar nas próximas reuniões

As atas das mais recentes reuniões de política monetária na zona euro e EUA mostram uma preocupação de ambos os bancos centrais com o abrandamento da economia, dando esperanças de subidas menos expressivas dos juros nos próximos meses, embora os sinais neste sentido sejam mais fortes do outro lado do Atlântico.

Musk tinha um plano para o Twitter? Veja as escolhas da semana no “Mercados em Ação”

Conheça as escolhas da semana do programa da plataforma multimédia JE TV numa edição que contou com a análise de Nuno Sousa Pereira, head of investments da Sixty Degrees.
Comentários