PSI 20 fecha a liderar ganhos na Europa, com impulso das energéticas

BCP escala mais de 5%, conduzido pela forte valorização dos bancos italianos.

A bolsa de Lisboa encerrou a ganhar 1,56% para 4.488,53 pontos, numa sessão em que o setor da energia foi preponderante.

A Galp Energia subiu 2,08%, enquanto a Energias de Portugal ganhou 3,60% e a EDP Renováveis valorizou 2,05%.

Também em destaque pela positiva, o BCP disparou 5,77%, contagiado por disparos de até quase 13% nos principais bancos italianos.

“Ninguém estava exposto aos bancos italianos antes do referendo, é uma questão de posicionamento e os investidores estão agora a cobrir posições curtas”, disse Andrea Cuturi, Diretor de Investimentos da Anthilia em Milão, à Reuters.

Ganhos ainda da Altri 1,51%, a Mota-Engil 2,08%, a REN 2,15%, a Sonae 1,92%) e a Navigator 1,92%.

Em contraciclo negociaram a Jerónimo Martins, que desceu 0,72%, e a Pharol, com um recuo de 0,57%.

Na Europa, dois dias antes da reunião do Banco Central Europeu, o CAC parisiense ganhou 1,32%, o FTSE100 de Londres subiu 0,49%, e o DAX valorizou 0,84%.

Segundo analistas consultados pela Bloomberg, o Banco Central Europeu deverá anunciar na reunião do Conselho de Governadores, marcada para a próxima quinta-feira, que o programa de compra de ativos deverá prolongar-se depois de março, o que poderá significar a sua extensão por mais seis meses, até setembro, ao ritmo de 80 mil milhões de euros por mês.

Também em foco, o italiano MIB disparou 4,07%, beneficiando também do ‘rally’ do sector bancário.

Do outro lado do Atlântico, os principais índices mantêm-se ‘flat’.

No mercado petrolífero, o Brent perde 1,80% para 53,95 dólares por barril.

Recomendadas

Wall Street fecha com perdas à espera de novos dados do emprego norte-americano

Os três principais índices encerraram as negociações a encarnado. O Twitter ainda arrancou a sessão a subir, mas as ações da rede social acabaram por desvalorizar mais de 3% na sequência de Elon Musk, dono da Tesla que quer comprar a empresa, ter perdido os parceiros de investimento (Apollo Global Management e Sixth Street Partners) no negócio.

Comissão de trabalhadores acusa grupo Amorim de “incapacidade” para dirigir Galp por anúncio da saída do CEO sem substituto

A Comissão Central de Trabalhadores (CCT) da Petrogal acusou hoje o Grupo Amorim de incapacidade “para controlar e dirigir a Galp”, na sequência do anúncio da saída do presidente executivo, Andy Brown, no final do ano, sem anúncio de substituto.

Diretora do FMI avisa que situação económica “ainda vai piorar antes de melhorar”

“A incerteza é muito elevada”, referiu Kristalina Georgieva, destacando os efeitos da guerra, apontando que pandemia que “ainda não desapareceu” e acrescentando também que “os riscos em torno da estabilidade financeira estão a crescer”.
Comentários