PSI-20 foge da maré vermelha europeia e fecha no ‘verde’ apoiado pela Jerónimo Martins

Praça lisboeta terminou a sessão a valorizar 0,15%, para 5.521,93 pontos nesta quinta-feira em contraciclo com as suas congéneres europeias.

O principal índice bolsista português, PSI 20, fechou a sessão desta quinta-feira, 9 de dezembro, a valorizar 0,15%, para 5.521,93 pontos contrariando a tendência das suas congéneres europeias.

A fazer subir o PSI 20 estiveram entre as principais cotadas portuguesas a Jerónimo Martins que cresceu 2,07%, para 20,26 euros, a EDP Renováveis que impulsiona 1,28%, para 22,18 euros e a REN que valoriza 1,41%, para 2,51 euros.

A negociar com sinal ‘vermelho’ no fecho da sessão estiveram o BCP que caiu 1,80%, para 0,14 euros, a petrolífera Galp que desce 2,58%, para 8,40 euros, a EDP que deprecia 0,19%, para 4,83 euros e a Altri que desvaloriza 1,96%, para 5,26 euros.

“A sessão acabou por ser de perdas para as principais bolsas europeias. Os investidores mostraram-se mais cautelosos, até porque amanhã será um dia de difusão de dados macroeconómicos muito relevantes, com o maior foco na inflação dos EUA, pelo impacto nas decisões de política monetária da Fed e no ritmo de retirada dos estímulos do Banco Central norte-americano”, refere o analista de mercados do Millenium investment banking, Ramiro Loureiro.

Nas principais bolsas europeias, na Alemanha, o DAX desce 0,32%, no Reino Unido, o FTSE 100 cai 0,22%, o francês CAC 40 desvaloriza 0,09% e o holandês AEX deprecia 0,73%. Em Espanha, o IBEX35 desce 0,97% e em Itália o FTSE MIB sobe 0,24%.

A cotação do barril de Brent desvaloriza 0,73%, com valor de 75,27 dólares, enquanto a cotação do crude WTI desce 0,76%, para 71,81 dólares por barril.

No mercado cambial o euro desvaloriza 0,50%, para 1,12 dólares.

Recomendadas

Bolsa de Lisboa abre a cair 0,52%

No resto da Europa, as subidas foram mais expressivas, com os investidores à espera de medidas de política monetária menos agressivas nas próximas reuniões dos bancos centrais.

Wall Street fecha eufórica com vislumbre do abrandamento da subida das taxas da Fed

Nasdaq foi o índice estrela de Wall Street. A justificar a subida das ações está a descida do ISM dos EUA para mínimos de mais de dois anos, que reforçou a narrativa de que a Fed está a ter sucesso no arrefecimento da economia, pelo que poderá abrandar o aperto da política monetária.

Musk avança para a compra do Twitter e ações disparam 22%

O CEO da Tesla, Elon Musk, voltou atrás na negociação e concordou em comprar o Twitter pelo preço original acordado de 44 mil milhões de dólares. As negociações da tecnológica na bolsa norte-americana foram interrompidas aquando do anúncio e retomaram a valorizar 22%.
Comentários